Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Menina com síndrome de Down é presa por queimar páginas do Corão

18 AGO 12 - 17h:49Terra

Uma menina de 11 anos que sofre da síndrome de Down foi acusada de blasfêmia e detida na capital paquistanesa, Islamabad, por queimar páginas do Corão, informou neste sábado (18) uma organização cristã do país.

A Christians in Paquistan, que denunciou o fato por meio de seu site, disse que a menor foi detida na sexta-feira no bairro de Umara Jaffar. A família da criança é cristã.

O jornal Express Tribune entrou em contato com a polícia local, que confirmou que a menina foi acusada do crime. A controvertida lei da blasfêmia, que foi aprovada durante o mandato do ditador militar islâmico Mohammed Zia-ul-Haq (1977-88), contempla inclusive a possibilidade da pena de morte por difamação contra o Islã ou o profeta Maomé.

A lei foi utilizada várias vezes pelas autoridades para atingir indivíduos de grupos religiosos minoritários. Ativistas e defensores dos direitos humanos denunciam abusos e pedem que a lei seja abolida.

No Paquistão, país criado em 1947 como pátria para os muçulmanos do subcontinente indiano, aproximadamente 97% da população é islâmica, segundo o último censo das autoridades.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Tarifa de ônibus sobe hoje; linhas e horários passarão por revisão
TRANSPORTE COLETIVO

Tarifa de ônibus sobe hoje; linhas e horários passarão por revisão

Sucesso do “BBB” é uma exceção na história dos formatos
CANAL 1 - FLÁVIO RICCO

Sucesso do “BBB” é uma exceção na história dos formatos

Sobe para cinco o número <br> de presos recapturados
FUGA EM MASSA

Sobe para cinco o número
de presos recapturados

Terça-feira será de calor <br> com temperaturas de 38º C
TEMPO

Terça-feira será de calor
com temperaturas de 38º C

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião