PLANOS DE SAÚDE

Médicos fazem mobilização hoje na Capital

Médicos fazem mobilização hoje na Capital
07/04/2011 07:59 - da redação


Mato Grosso do Sul paralisa hoje o atendimento médico aos planos de saúde. Neste dia os profissionais não realizarão consultas e outros procedimentos. Os pacientes previamente agendados serão atendidos em nova data e todos os casos de urgência e emergência receberão a devida assistência. O protesto acontece pela defesa da saúde suplementar, pela prática segura e eficaz da medicina, e especialmente por mais qualidade na assistência prestada aos cidadãos.

No Estado, o ato está sendo organizado pelo SinMed-MS (Sindicato dos Médicos), CRM-MS (Conselho Regional de Medicina) e AMMS (Associação Médica). Segundo o presidente do sindicato, Marco Antônio Leite, é preciso agir contra o tratamento desrespeitoso dos planos de saúde com os médicos e pacientes. “Não podemos mais aceitar a forma com que a saúde suplementar vem sendo conduzida. Dia sete acontece o primeiro ato de paralisação e se for preciso faremos outros até que as condições atuais se revertam”, protesta o presidente.

Para o presidente do CRM-MS, Juberty Antônio de Souza, as entidades médicas estão convictas de que é preciso mobilizar toda a sociedade para a campanha, pois a população e os médicos são os maiores prejudicados com a forma em que está sendo conduzida a política dos planos de saúde.

Atualmente, as operadoras intervêm de forma direta no trabalho médico, criando barreiras para o pedido de exames e internações, solicitando antecipação de altas e transferência de pacientes, entre outras ações prejudiciais à qualidade no atendimento e tratamento.

Outro motivo da paralisação é em relação aos honorários médicos, pois nos últimos dez anos os repasses foram irrisórios, enquanto as operadoras aumentaram o valor da mensalidade para o cliente com porcentagens acima da inflação. “Hoje em dia montar clínica fica praticamente inviável para o profissional, os custos são altíssimos o retorno é pouco e o desgaste físico e mental se torna cada vez mais frequente”, explica o presidente do SinMed-MS.

A partir das 8 horas, os médicos estarão na Praça da República realizando ato de protesto. Em seguida vão participar de audiência pública na Assembleia.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".