sexta, 20 de julho de 2018

EM TODO O PAÍS

MEC determina ‘pente-fino’ sobre ocorrências no Enem

17 NOV 2010Por AGÊNCIA ESTADO, BRASÍLIA04h:00

O Ministério da Educação (MEC) determinou a realização de uma operação "pente-fino" sobre as ocorrências registradas nas atas de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em um processo que vai ajudar a definir quais estudantes terão direito a uma nova prova. A informação foi dada ontem pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. Mais cedo, ele compareceu à audiência da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado Federal.

"A orientação dada ao consórcio Cespe/Cesgranrio é para que todas as ocorrências passem por um ‘pente-fino’. Todas as ocorrências. Se houver registro em ata que faltou cartão para substituir o cartão entregue ao aluno ou alguma ocorrência dessa natureza, enfim tudo que for possível apurar objetivamente será considerado", disse Haddad.

Questionado se apenas a prova de sábado, dia 6, seria reaplicada a um número restrito de estudantes, Haddad respondeu que "possivelmente sim, mas não necessariamente". "Vamos verificar se houve algum prejuízo por alguma outra ocorrência de alguém que no domingo tenha tido alguma dificuldade", afirmou.

Não é possível abrir a possibilidade de refazer o exame para todos os alunos, observou Haddad, já que isso "fere o edital". "Trata-se de uma apuração objetiva e de uma convocação direcionada para aqueles que foram prejudicados", ressaltou. Esses alunos serão imediatamente notificados por celular, e-mail e pelos Correios, disse o ministro.

Ao comentar falhas nesta edição do Enem - como a encadernação equivocada de parte das provas do caderno amarelo e o cabeçalho errado em todas as avaliações de sábado, dia 6 -, Haddad admitiu que foram dois erros distintos. "Um aparentemente de responsabilidade do Inep e outro de responsabilidade da gráfica", afirmou.

Foram registrados erros no cartão de respostas e no caderno amarelo. As provas chegaram a ser suspensas pela Justiça Federal no Ceará, mas o Tribunal Regional Federal da 5ª Região derrubou a liminar e liberou o prosseguimento do certame.

Haddad, disse que aguarda resposta da Cesgranrio, órgão responsável pela elaboração da prova, para definir a data de reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, Haddad disse que a pasta deve negociar com instituições federais de ensino superior para que os vestibulares não coincidam com a data a ser definida.

O ministro voltou a defender ontem a realização de mais de uma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por ano. Segundo ele, a estratégia estava programada para ser adotada em 2010 e abriria caminho para "menos atropelos" e "mais tranquilidade". No entanto, segundo o Ministério da Educação (MEC), não houve tempo hábil para realizar duas edições do exame este ano.

Leia Também