Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MEDALHA DE OURO

Maurren pede dinheiro em site para treinar

Maurren pede dinheiro em site para treinar
28/02/2014 16:09 - FOLHA PRESS


                     Maurren ganhou medalha de ouro em Pequim 2008 (Foto: Reprodução/Facebook)

Ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, a saltadora Maurren Maggi usou um site de financiamento coletivo para fazer campanha com o objetivo de conseguir dinheiro e até patrocinadores para poder realizar treinos pelo período de 45 dias visando a Olimpíada do Rio-2016.

De acordo com a atleta, a contribuição pode ser a partir de R$ 10. Ela necessita de R$ 100 mil somente para cobrir os custos e o pagamento de profissionais envolvidos no treinamento.

"Estou sem patrocínio desde janeiro do ano passado. Mesmo assim, continuei treinando com recursos próprios. Porém, achei injusto colocar a cara a tapa, dei um basta e quis parar, mas o Nélio [Moura, treinador] pediu para esperar um pouco", disse Maurren Maggi em entrevista ao canal SporTV.

"É uma situação inovadora, inusitada. Talvez estou abrindo portas", acrescentou.
Segundo o site, sete pessoas contribuíram até agora e a saltadora arrecadou R$ 550 em dois dias de campanha.

No site, Maurren explica que sempre correu atrás de patrocinadores e conseguiu, mas neste ano não obteve sucesso, já que os "olhos dos patrocinadores estão voltados para o futebol [Copa do Mundo] e os outros esportes ficam de lado. Sou uma atleta que nunca se deixou vencer e nunca medi esforços para representar o nosso Brasil e presentear meus compatriotas com medalhas".

A saltadora também prometeu recompensas para quem participar da campanha que vão desde almoço ou jantar com a atleta, camiseta autografada, vídeo e/ou agradecimento em rede social, créditos no filme da campanha, fotos de treinos e assistir uma competição de esportes.

O site em que a atleta pede ajuda é o Kickante Couwdfounding.
 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?