quarta, 18 de julho de 2018

salto em distância

Maurren Maggi foca tri pan-americano

23 FEV 2011Por terra17h:26

Não é novidade que Maurren Maggi tem um carinho especial pelos Jogos Pan-Americanos, competição em que já levou o ouro em duas oportunidades (Winnipeg 99 e Rio de Janeiro 2007). E é pensando nisso que a campeã olímpica do salto em distância admite que o principal objetivo da temporada é a disputa em Guadalajara, de 14 a 30 de outubro. Com esse foco, Maurren buscará o tri pan-americano por um único motivo: "é uma questão pessoal, sentimental", afirmou a atleta brasileira.

"É uma prova forte no salto em distância. A única diferença do Pan para o Mundial é que as russas não entram, mas continua muito forte porque cubanas, jamaicanas e americanas competem. E é lógico que quero brigar pelo tricampeonato", afirmou Maurren, que voltou a competir nesta quarta-feira, após seis meses recuperando-se de lesão.

Além da própria competição ser especial para Maurren, o México lhe traz boas e más recordações. "Já competi no México e não tive boas experiências. Fiquei fora do Mundial por 1 cm, quando tinha uns 20 anos. Mas é um país onde um grande ídolo meu conseguiu uma medalha, que é o João do Pulo, além de um recorde importante, então vou contar com a sorte dele para conseguir bons resultados".

João do Pulo morreu em 1999, aos 45 anos, e foi um dos melhores atletas brasileiros da história. No Pan da Cidade do México, em 1975, o brasileiro conquistou dois ouros, um no salto em distância e outro no salto triplo, repetindo o feito em San Juan, em 1979.

Além disso, mais dois bronzes olímpicos, um em Montreal 76 e o outro em Moscou 80, fazem parte do vasto currículo do ídolo.

O índice do salto em distância para os Jogos que serão disputados na cidade mexicana ainda não foi definido, mas Maurren acredita que a marca ficará em torno dos 6,60 m, número nada complicado para quem já saltou 7,04 m na Olimpíada de Pequim, o que lhe rendeu uma medalha de ouro inédita para o Brasil.

"Para o Pan a expectativa é pódio, claro, mas para o Mundial é melhorar a marca. Quero saltar acima de 6,90 m, o que vai ser muito bom", afirmou a campeão olímpica.

Falando em marcas, Maurren leva uma delas bem perto, mais especificamente nas costas. A atleta apareceu no Centro Olímpico do Ibirapuera, nesta quarta, com a camisa número 7 do São Paulo e disse que essa é a "marca-chave".

Segundo ela, esse número lhe garante, no mínimo, um pódio em qualquer competição que disputar, lembrando que a melhor marca da brasileira é 7,26.

Mas para chegar perto dessas invejáveis marcas, Maurren admite que ainda precisa treinar muito. Recuperando-se de lesão, a atleta acredita que somente as competições farão com que ela volte a ter o mesmo desempenho de anos anteriores e retorne ao lugar mais alto do pódio.

"Temos que continuar nosso trabalho. Não tem segredo, palavra chave, nem treinamento específico. É pegar ritmo de competição e continuar o trabalho. Não estamos fazendo nada diferente. Só falta ritmo de competição, por isso que vou entrar em todas as competições que conseguir, mesmo estando em treinamento forte", afirmou Maurren.

Enquanto muitos atletas já estão pensando em Londres 2012, a atual campeão olímpica do salto em distância não quer se preocupar com a competição na capital britânica. Segundo ela, muitas águas vão rolar até a Olimpíada.

"Teremos uma temporada forte no meio do ano e temos que fazer a preparação para o Pan e para o Mundial e só depois vem Londres, com uma preparação que começa só ano que vem. Temos que dar um passo de cada vez", concluiu Maurren.

Leia Também