Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Matrículas no ensino integral cresceram 45% entre 2012 e 2013

Matrículas no ensino integral cresceram 45% entre 2012 e 2013
26/02/2014 05:00 - epoca


O número de alunos matriculados em tempo integral chegou a 3.171.638 em 2013, 45,2% maior do que no ano anterior, segundo dados do Censo Escolar apresentados pelo Ministério da Educação nesta terça-feira (25). Nos últimos anos, a quantidade de alunos na modalidade cresceu, principalmente, graças ao Programa Mais Educação, que financia atividades no contraturno, disse Francisco Soares, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em 2010, o total de estudantes no tempo integral era 1.327.129, menos da metade da quantidade atual. 

Segundo Soares, com o avanço do tempo integral e a possibilidade de mais Estados e municípios aderirem ao Mais Educação, o país pode cumprir as metas do Plano Nacional de Educação, que estabelece 25% das matrículas da rede pública na modalidade até 2023. O número ficou em 12% no ano passado. O PNE ainda aguarda votação no Congresso. 

O número de crianças matriculadas em creches aumentou 7,5% entre 2012 e 2013, chegando a 2.730.119. "Estamos sinalizando uma mudança de paradigma. O que queremos para o país é acesso [à educação] mais cedo e por mais tempo", afirmou Francisco Soares. O crescimento nessa etapa do ensino, no entanto, foi menor do que no período anterior (2011 e 2012), quando ficou em 10,5%. O ministro da Educação, José Henrique Paim, considerou os índices consistentes. "O ritmo de crescimento ainda é bastante acelerado."

No ensino médio, o cenário é de estagnação. As matrículas variaram -0,8% entre 2012 e 2013, ficando em 8.312.815. Recentemente, outra queda de -0,3% já havia sido observada em 2012. A correção de fluxo nos anos anteriores não fez com que as matrículas subissem. Francisco Soares disse que os índices de aprovação estão melhorando, mas o abandono no primeiro ano do ensino médio ainda é grande.

O país ainda tem 3,36 milhões de crianças e adolescentes fora da escola, sendo que metade corresponde a jovens de 15 a 17 anos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2012. 

O ministro Henrique Paim admitiu que o país tem um "grande desafio" no ensino médio, mas disse que há políticas em andamento que podem dar melhores resultados. "Lançamos recentemente o Pacto pelo Ensino Médio. O esforço é grande e estamos trabalhando com várias instituições."

Felpuda


As várias e várias mensagens que vêm sendo trocadas em grupos fechados, e para poucos, são de que algumas alianças poderão acontecer, mas mediante a troca de comando em alguns órgãos importantes. Seriam entendimentos para atender siglas de matizes bem diversos que vêm tentando criar dificuldades para vender facilidades. Se as negociações forem concretizadas, tornarão os caminhos sem muitas barreiras. A conferir.