Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Matrículas no ensino integral cresceram 45% entre 2012 e 2013

26 FEV 14 - 05h:00epoca

O número de alunos matriculados em tempo integral chegou a 3.171.638 em 2013, 45,2% maior do que no ano anterior, segundo dados do Censo Escolar apresentados pelo Ministério da Educação nesta terça-feira (25). Nos últimos anos, a quantidade de alunos na modalidade cresceu, principalmente, graças ao Programa Mais Educação, que financia atividades no contraturno, disse Francisco Soares, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em 2010, o total de estudantes no tempo integral era 1.327.129, menos da metade da quantidade atual. 

Segundo Soares, com o avanço do tempo integral e a possibilidade de mais Estados e municípios aderirem ao Mais Educação, o país pode cumprir as metas do Plano Nacional de Educação, que estabelece 25% das matrículas da rede pública na modalidade até 2023. O número ficou em 12% no ano passado. O PNE ainda aguarda votação no Congresso. 

O número de crianças matriculadas em creches aumentou 7,5% entre 2012 e 2013, chegando a 2.730.119. "Estamos sinalizando uma mudança de paradigma. O que queremos para o país é acesso [à educação] mais cedo e por mais tempo", afirmou Francisco Soares. O crescimento nessa etapa do ensino, no entanto, foi menor do que no período anterior (2011 e 2012), quando ficou em 10,5%. O ministro da Educação, José Henrique Paim, considerou os índices consistentes. "O ritmo de crescimento ainda é bastante acelerado."

No ensino médio, o cenário é de estagnação. As matrículas variaram -0,8% entre 2012 e 2013, ficando em 8.312.815. Recentemente, outra queda de -0,3% já havia sido observada em 2012. A correção de fluxo nos anos anteriores não fez com que as matrículas subissem. Francisco Soares disse que os índices de aprovação estão melhorando, mas o abandono no primeiro ano do ensino médio ainda é grande.

O país ainda tem 3,36 milhões de crianças e adolescentes fora da escola, sendo que metade corresponde a jovens de 15 a 17 anos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2012. 

O ministro Henrique Paim admitiu que o país tem um "grande desafio" no ensino médio, mas disse que há políticas em andamento que podem dar melhores resultados. "Lançamos recentemente o Pacto pelo Ensino Médio. O esforço é grande e estamos trabalhando com várias instituições."

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ARTIGO

Ângela Maria Costa: "A falácia da participação popular"

Integrante do Conselho Municipal de Educação
OPINIÃO

João Badari: "Concessão de aposentadoria poderá ficar mais difícil"

Advogado

Felpuda

EDUCAÇÃO

Ensino superior a distância tem mais vagas do que o presencial

É o que revela Censo da Educação Superior divulgado hoje

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião