domingo, 22 de julho de 2018

GERAÇÃO LIMPA

Mato Grosso do Sul vira exemplo em bioeletricidade

17 JUN 2012Por ADRIANA MOLINA00h:00

O que antes era jogado no lixo por indústrias e propriedades rurais agora vira energia em Mato Grosso do Sul. Projetos que utilizam bagaço da cana, restos de madeira e até mesmo resíduos da produção suína e bovina têm se transformado em fontes de alimentação energética, reduzindo até pela metade os custos industriais e se tornado exemplo no País.

O gerente de recuperação química e utilidades da Fíbria Industrial no Estado, Fernando Raasch Pereira que o diga. “A implantação do reaproveitamento dos resíduos tanto sólido como líquidos para geração de energia foi o que tornou viável a instalação da indústria aqui. Sem a matriz energética, os custos seriam muito altos”, afirma.

Segundo ele, toda a demanda térmica e elétrica da fábrica de papel e celulose em Três Lagoas é suprida pelas caldeiras de biomassa sólida e líquida, que geram energia a partir do que não é aproveitado das florestas comerciais usadas na fabricação dos produtos. Dos 120 megawatts/hora produzidos, cerca de 30 MWh sobram e são destinados ao Sistema Nacional – volume suficiente para abastecer uma cidade de 100 mil habitantes por um ano.

Leia mais no jornal Correio do Estado.

 

Leia Também