Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

SAÚDE

Mato Grosso do Sul tem 31 mil diabéticos no programa Hiperdia

12 NOV 2010Por NOTÍCIAS MS15h:51

No próximo dia 14 de novembro (domingo) é comemorado o Dia Mundial da Prevenção do Diabetes, uma data que visa chamar a atenção de todos aqueles que estão envolvidos direta ou indiretamente nos cuidados dessa doença. Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Mato Grosso do Sul tem 31.902 diabéticos cadastrados no programa oficial Hiperdia (Hipertensão e Diabetes), sendo que 1.302 têm diabetes tipo I; 3.714 diabetes tipo 2 e 26.845 diabéticos com hipertensão arterial; destes, 48,8% são sobrepeso, 37,2% referiram ser sedentários e 17,8% faz uso de tabaco.

"Porém sabemos que há um subregistro da informação e segundo o Vigitel 2009 (Vigilância por Telefone) estima-se que 5,10% da população adulta do Estado, aproximadamente 82 mil pessoas acima de 18 anos, tem diabetes”, informou a gerente do Hiperdia, Susane Lima Vargas, da Coordenadoria Estadual de Atenção Básica, da SES/MS. Segundo ela, o diabetes é uma doença silenciosa que foi a 3ª principal causa de óbito no Estado no ano de 2009. “A afecção é tardiamente diagnosticada e quando o usuário procura ajuda médica, já apresenta quadro de sequelas”, explicou Susane, ao lembrar que é de suma importância que a população se preocupe com esta patológica, procurando avaliação médica de rotina, alimentação saudável, atividade física e qualidade de vida.  

 

Gerência

A Gerência Estadual de hipertensão e diabetes atua junto às equipes multiprofissionais que atendem a atenção básica proporcionando um suporte técnico de gestão do programa, participa de eventos nacionais e estaduais divulgando indicadores de saúde e atuando diretamente na prevenção e promoção de saúde junto aos municípios.

 

Novos dados

Segundo dados da Federação Internacional de Diabetes (IDF), a cada cinco segundos surge um novo caso no mundo, atingindo pelo menos 245 milhões de pessoas. 

Segundo informações da Máxima Assessoria de Imprensa, no Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas são portadoras da doença, sendo que 500 novos casos surgem por dia. A maior parte das ocorrências é do diabetes tipo 2, cuja incidência é maior após os 40 anos. Nesse caso, a causa parece ser a ação da resistência à insulina aliada a uma secreção de insulina insuficiente provocada por herança genética, ganho de peso (principalmente gordura abdominal), sedentarismo ou pelo envelhecimento. Em crianças e adolescentes acima do peso este tipo de diabetes também tem sido observado com frequência.

 

Controle da glicemia

Como mais de 80% das pessoas com diabetes tipo 2 estão acima do peso, as medidas iniciais para o tratamento são as modificações do estilo de vida, que envolvem uma dieta adequada visando controle do peso e da glicemia, além da prática de atividades físicas regulares. O uso de medicamentos orais estará indicado somente se essas medidas não forem suficientes para controlar a hiperglicemia.

 

Fibras

No que se refere à alimentação, as pesquisas atuais têm mostrado que as fibras alimentares, em especial as solúveis, colaboram para o controle da glicemia, além de apresentarem efeitos benéficos sobre o perfil lipídico e hipertensão arterial. A farinha de banana verde e a casca do maracujá são exemplos de fibras investigadas com a finalidade de ajudar no controle da glicemia. No caso da casca do maracujá, estudos mostram que a pectina, uma fibra solúvel presente em grande quantidade no alimento, é capaz de retardar a absorção de carboidratos.

Leia Também