CATARATA

Mato Grosso do Sul contará com <br> R$ 2,4 milhões para novas cirurgias

Mato Grosso do Sul contará com <br> R$ 2,4 milhões para novas cirurgias
28/08/2012 16:10 - DA REDAÇÃO


Para reduzir o tempo de espera nas filas do Sistema Único de Saúde (SUS) e ampliar o número de cirurgias de catarata, o Estado de Mato Grosso do Sul contará com investimento no valor de R$ 2,4 milhões, 106% a mais que em 2011, quando foi liberado R$ 1,2 milhão. A estratégia faz parte da Política Nacional de acesso aos Procedimentos Cirúrgicos Eletivos. O recurso liberado pelo Ministério da Saúde busca ampliar o acesso aos procedimentos de cirurgia de catarata.

Estima-se que em 2012, sejam realizadas 5.252 cirurgias em Mato Grosso do Sul. Até junho já foram feitas 2.626 intervenções através do SUS. Para reforçar o acesso ao procedimento, do total de recursos, R$ 183,3 mil são destinados aos municípios com 10% ou mais de sua população em situação de extrema pobreza.

Os pacientes que são atendidos pelo SUS são submetidos a triagem, avaliação de exames e em seguida ao procedimento cirúrgico. Se houver algum problema durante e/ou o pós-cirúrgico, o paciente será encaminhado a um serviço de referência do estado.

Contrapartida

Além desse investimento, Mato Grosso do Sul também receberá mais R$ 5 milhões para a realização de cirurgias eletivas, sendo R$ 2,5 milhões especificamente para o tratamento de varizes, cirurgias ortopédicas, atendimento nas áreas de urologia, oftalmologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas. Outros R$ 2,5 milhões atenderão as demandas apresentadas pelos gestores estaduais, conforme a necessidade do estado.

Fonte: Ministério da Saúde

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".