Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 13h02min

Marun defende André, mas acaba admitindo propaganda enganosa

29 ABR 10 - 06h:38
O deputado estadual Carlos Marun (PMDB) subiu ontem à tribuna da Assembleia Legislativa para defender o governador André Puccinelli (PMDB) da acusação de fazer propaganda pessoal com dinheiro público e acabou admitindo que o Executivo se apropriou de obras federais para promover a administração do PMDB. Ele reconheceu que a fatia maior dos R$ 172 milhões investidos em Corumbá saiu dos cofres da União. “Nunca escondemos isso”, declarou.
A polêmica veio à tona na semana passada, quando o deputado estadual Paulo Duarte (PT) levou ao plenário da Assembleia panfleto do Executivo estadual com o título: “o Governo do Estado investe R$ 172 milhões em Corumbá”. O parlamentar acusou Puccinelli de fazer propaganda enganosa e de cunho pessoal, pois a maior parcela dos investimentos em andamento é patrocinada pela União.
Para Marun, não interessa a origem do recurso. “A forma como estão interpretando a captação da verba é errada. Experimente ficar sentado para ver se vem dinheiro. Isso depende de credibilidade e competência”, defendeu. “O que existe é um governo que vai buscar o que é nosso, levando em conta que a União fica com 54% do bolo tributário”, completou. “E prestamos conta disso”, concluiu.
Porém, Duarte defendeu que a propaganda deve ser clara, mostrando a origem dos recursos. “Mas o André personifica os investimentos como se ele fosse o único responsável pelas obras”, explicou. Marun lembrou, ainda, que o panfleto informa que a União repassou o dinheiro. “A questão é que em letras garrafais o governador se vangloria e em letras minúsculas descreve a origem dos recursos”, ressaltou o petista.
Anteontem, Duarte apresentou representação à Procuradoria Regional Eleitoral, em Campo Grande, acusando Puccinelli de fazer propaganda antecipada e de abuso de autoridade.

Fortuna em caixa
Além disso, Paulo Duarte acusou Puccinelli de manter fortuna em bancos para, de olho na reeleição, gastar em ano eleitoral. O próprio governo reconheceu ter em caixa R$ 1,2 bilhão. “Ele (Puccinelli) guardou esse dinheiro com fins eleitoreiros”, afirmou o petista. “Então, o que significa distribuir, em véspera de eleição, R$ 500 mil para os prefeitos investirem em asfalto?”, questionou. (LK)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Crianças são encontradas mortas em desabamentos após temporal
INTERIOR SP

Crianças são encontradas mortas em desabamentos após temporal

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Após três quedas seguidas, gasolina volta a subir em Campo Grande

Etanol apresentou redução e diesel ficou estável, segundo ANP
Candidatos chegam mais cedo por preocupação com mudança no horário
CONCURSO PÚBLICO

Candidatos chegam mais cedo por preocupação com horário

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul
ECONOMIA REGIONAL

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul

Mais Lidas