Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

FISCALIZAÇÃO

Marinha inicia megaoperação com 700 homens para patrulha e inspeção no Rio Paraguai

17 FEV 14 - 18h:23DA REDAÇÃO

A Marinha iniciou hoje (17) a Operação Amazônia Azul, com o objetivo de intensificar a fiscalização nas águas jurisdicionais brasileiras – marítimas e interiores –, visando garantir a segurança do País e treinar a força naval para atuação durante a Copa do Mundo deste ano. Em todo o Brasil, são empregados 30 mil militares, 60 navios e 15 aeronaves. A fiscalização, que vai até o dia 22 deste mês, conta com participação da Polícia Federal, Ibama, Receita Federal, Força Aérea Brasileira (FAB), Petrobras e Transpetro.

No rio Paraguai, em Corumbá (MS), área de atuação do 6º Distrito Naval, a Marinha emprega um efetivo de 700 homens e a fiscalização acontece ao longo de mais de 1.200 quilômetros do rio. Os militares realizam patrulha e inspeção naval, fiscalização e controle de tráfego fluvial, além de levantamento hidrográfico e manutenção do balizamento entre Ladário e Cáceres. O Comando da Marinha em Ladário emprega ainda nove navios, 20 embarcações de apoio e dois helicópteros. O Navio de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano está na calha do rio Cuiabá, onde a Amazônia Azul promove ações cívico-sociais para atendimento médico e odontológico da população ribeirinha da região.

A ação conta ainda com cão farejador, apoio da Força Nacional de Segurança Pública, e a participação de dois oficiais da Marinha da Bolívia. A presença de militares estrangeiros, explicou o contra-almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, é para que as Forças Armadas dos países vizinhos tenham conhecimento que a operação é um exercício de paz. “Vamos fiscalizar o cumprimento de leis e regulamentos e reprimir ilícitos de toda ordem nas águas jurisdicionais brasileiras, mar e interiores”, afirmou.

(Com informações do Diário Corumbaense)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ARTIGO

Ângela Maria Costa: "A falácia da participação popular"

Integrante do Conselho Municipal de Educação
OPINIÃO

João Badari: "Concessão de aposentadoria poderá ficar mais difícil"

Advogado

Felpuda

EDUCAÇÃO

Ensino superior a distância tem mais vagas do que o presencial

É o que revela Censo da Educação Superior divulgado hoje

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião