Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CANDIDATOS PRESIDÊNCIA

Marina Silva

Marina Silva
09/09/2010 10:41 - Carolina Pimentel Repórter da Agência Brasil


A senadora licenciada pelo Acre Marina Silva é a candidata à Presidência da República do Partido Verde (PV) nas eleições de outubro. Ela deu os primeiros passos nos movimentos social e sindical ao lado de Chico Mendes, líder seringueiro assassinado em Xapuri, em 1988. Antes de chegar ao Senado, em 1994, foi vereadora em Rio Branco e deputada estadual pelo PT. Alfabetizada apenas na adolescência, é formada em história pela Universidade Federal do Acre e pós-graduada em psicopedagogia.

Marina começou a carreira política em seu estado, em 1984. Sua trajetória é marcada por defender o crescimento sustentável, com proteção do meio ambiente. No Acre, ela foi uma das fundadoras da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Chegou ao Senado com 36 anos, como a mais jovem senadora do país. Agora, parte para um desafio maior: disputar a Presidência da República pela primeira vez.

Marina comandou o Ministério do Meio Ambiente, no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva – primeiro cargo a ocupar no Poder Executivo -, em janeiro de 2003.  Em 13 de maio de 2008, Marina deixou o cargo. No ano passado, depois de quase 30 anos, desfiliou-se do PT. À época, disse discordar da proposta do partido de priorizar o desenvolvimento em detrimento da preservação ambiental.

Casada, Marina tem quatro filhos. Nasceu em Breu Velho, um seringal localizado a 70 quilômetros da capital acriana. É a segunda mais velha de uma família de sete mulheres e um homem. Aprendeu a ler e escrever somente na adolescência, quando foi morar em Rio Branco e entrou em contato com religiosos.

Em 2007, Marina Silva integrou a lista das 50 pessoas mais influentes para ajudar a salvar o planeta, feita pelo jornal britânico The Guardian.

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!