MORENINHAS

Marcha contra as drogas acontece amanhã

Marcha contra as drogas acontece amanhã
29/06/2012 10:35 - Montezuma Cruz


Pais de alunos, alunos das escolas, comerciantes, líderes religiosos e demais moradores participarão amanhã (30), da marcha intitulada "Diga não às drogas, diga sim a Jesus", que percorrerá as principais ruas e avenidas do Bairro Moreninhas, a partir das 16h. "Buscamos a mobilização do maior número possível de pessoas para participar desse importante momento de afirmação da nossa comunidade contra esse flagelo que angustia tantos lares nesta cidade", comentou o presidente do Conselho de Segurança das Moreninhas e Região, Humberto Cantuário Vieira.

A área de atuação do conselho começa na Vila Pioneiras, estendendo-se pelas quatro Moreninhas. A marcha será acompanhada por agentes da Companhia Independente de Trânsito, do Corpo de Bombeiros, e por agentes da Delegacia de Polícia Civil do bairro.

Para Vieira, essa caminhada tem um sentido especial, pois as ocorrências policiais envolvendo o consumo de drogas e álcool quase sempre têm a participação de jovens. Os efeitos, conforme ele descreve, são nefastos: "Geralmente, essa situação resulta em tragédias no trânsito e na desagregação familiar".

No ano passado, o conselho fez campanha nas escolas, com o objetivo de mobilizar pais e alunos contra os males causados pelas drogas. A entidade também conseguiu relativo êxito no combate ao uso de linhas de cerol, aprrendendo mais de duzentas latas. Em consequência do uso de cerol, dois motociclistas do bairro morreram na Santa Casa de Campo Grande, alguns dias depois de internados, com os pescoços cortados.  

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".