Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

ACIMA DA MÉDIA NACIONAL

Mão de obra eleva custo da construção civil em 8,38%

8 JAN 2011Por Carlos Henrique Braga00h:00

Mais valorizados do que nunca, os salários dos profissionais pesaram nos custos da construção civil no ano passado. O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apurou crescimento de 8,38% em Mato Grosso do Sul, sexto maior aumento do Brasil e superior à media nacional (7,36%). O gasto médio por metro quadrado passou de R$ 689,63 para R$ 747,41. Em Rondônia, que teve a maior variação (18,29%), o custo é pouco maior: R$ 784,18.

A mão de obra, segundo o setor, representa 40% dos gastos, por isso cada centavo pesa. Nos últimos anos, obras públicas e privadas reacenderam a construção e o mercado imobiliário, que passaram a disputar trabalhadores qualificados. Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção (Sinduscon/MS),  Amarildo Melo, os preços vão subir ainda mais sem expansão do quadro de operários capacitados. “Estamos sofrendo o reflexo da retomada de investimentos no setor, mas sem investimento em capacitação, e as coisas só devem ficar piores”, avisa.

O avanço no custo da mão de obra no País foi de 10,24%, de acordo com o IBGE, 5 pontos percentuais acima dos materiais de construção (5,24%). Em Campo Grande, a discrepância entre o piso previsto pelos sindicatos (R$ 637) e os salários reais dos pedreiros, que chegam a R$ 1,2 mil, quase o dobro, são um sinal do crescimento dos gastos. Melo acredita em um “aumento substancial” no salário que será estipulado em acordo coletivo neste ano para corrigir distorções.

O sindicalista defende a revisão dos índices oficiais, referência para pagamento de obras públicas, para evitar que empresários saiam perdendo em contratos que  usam o Sinapi como balizador de preços.

Quanto aos valores dos materiais, ele destaca o encarecimento de aço e cerâmicos, mesmo com redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), prorrogado até 31 de dezembro deste ano.

Leia Também