Mais verba para capitalizar cooperativas

Mais verba para capitalizar cooperativas
22/03/2010 01:12 -


O limite de financiamento do Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias (Procap-Agro) foi ampliado de R$ 25 mil para R$ 40 mil por associado. A medida foi autorizada pelo Conselho Monetário Nacional, no mês passado. O Conselho Monetário (CMN) ainda definiu que todo recurso disponível para o programa, R$ 2 bilhões, poderá ser direcionado ao financiamento das cooperativas. Anteriormente, apenas metade desse valor poderia ser aplicado dessa forma. Operado com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Procap-Agro foi criado na safra 2009/2010 para promover a recuperação ou a reestruturação patrimonial das cooperativas de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira, via integralização de cotas-partes de capital. Nesta safra, foram disponibilizados R$ 2 bilhões, sendo R$ 1 bilhão destinado, anteriormente, ao financiamento. “Muitos produtores rurais, associados a cooperativas, não têm capacidade de pagamento ou limite de crédito para obtenção de novos financiamentos, principalmente por conta das prorrogações por frustração de safras, o que dificulta a capitalização da cooperativa via integralização de cotas-partes pelo associado”, explica o diretor do Departamento de Economia Agrícola, Wilson Araújo. Mudanças Araújo observa que, com as mudanças indicadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e aprovadas pelo CMN, as condições para contratar o programa melhoram. “Mesmo antes dessa medida, já tínhamos boas notícias. Só o Banco do Brasil já tem comprometido recursos da ordem de R$ 800 milhões, com financiamentos contratados ou aprovados diretamente com cooperativas singulares”, informa. A taxa de juros do programa é fixa, de 6,75% ao ano, aí incluída a Remuneração da Instituição Financeira Credenciada de 3% ao ano.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".