Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

MUNDO

Mais de 800 execuções aconteceram na Costa do Marfim desde novembro

2 ABR 2011Por AFP20h:47

A Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) afirmou neste sábado que mais de 800 pessoas foram executadas na cidade de Duekoue, no oeste, desde o segundo turno das eleições presidenciais na Costa do Marfim.

"A FIDH confirma que aconteceram massacres na cidade de Duekoue. Testemunhos confirmam as execuções de indivíduos, em especial da etnia Guere, em 29 de março de 2011 no bairro Carrefour", afirma a organização em um comunicado.

A FIDH "condena os graves abusos cometidos contra a população civil pelas partes em conflito, dentro da ofensiva lançada pelas Forças Republicanas da Costa do Marfim (FRCI) de Ouattara para tomar o controle do país, em especial na capital econômica Abdijan".
Durante uma ofensiva relâmpago esta semana, as forças leais a Alassane Ouattara, reconhecido presidente eleito pela comunidade internacional, tomaram o controle de quase todo o país, com exceção dos redutos em Abdijan de leais a Laurent Gbagbo, chefe de Estado que não admite a derrota nas urnas.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) anunciou na sexta-feira que pelo menos 800 pessoas morreram em confrontos étnicos em Duekoue.

A Missão da ONU na Costa do Marfim (ONUCI) informou neste sábado que 330 pessoas morreram em Duekoue, oeste do país, a maioria por combatentes de Ouattara. 

Leia Também