quinta, 19 de julho de 2018

2010

Mais de 300 milhões de smartphones vendidos

8 FEV 2011Por INFOMONEY17h:47

Ao longo do ano passado, as vendas de smartphones em todo o mundo atingiram 302,6 milhões de unidades, o que representa crescimento de 74,4% ante os 173,5 milhões de aparelhos comercializados em 2009.

De acordo com estudo divulgado pela consultoria IDC (International Data Corporation), somente no quarto trimestre do ano passado, foram vendidos 100,9 milhões de smartphones.

O número é 87,2% maior do que no mesmo período de 2009, quando foram vendidos 53,9 milhões de aparelhos. A consultoria projeta ainda baixa nos preços dos produtos neste ano, o que resultará em mais concorrência e opções para os usuários.

Fabricantes
Na avaliação do analista sênior de pesquisa da consultoria IDC, Ramon Llamas, o sistema operacional Android é um forte personagem na expansão do mercado de smartphones.

Para Llamas, o sistema desenvolvido pelo Google já desafia o Symbian, presente somente nos smartphones da Nokia, enquanto o Android é encontrado em aparelhos da HTC, LG, Motorola, Samsung e outros.

De acordo com a IDC, apesar das notícias sobre o fraco desempenho das vendas, o Symbian 3 e o Windows Phone 7, remodelados e lançados pela Nokia e Microsoft, respectivamente, tiveram bom desempenho nas vendas durante os últimos meses do ano passado.

"A Nokia vendeu cinco milhões de smartphones com o Symbian 3, enquanto fabricantes que usam Windows Phone 7 venderam 1,5 milhão de smartphones", diz Llamas.

Vendas
Na briga entre os fabricantes, a Nokia se mantém no topo da lista, com 100,3 milhões de unidades vendidas em 2010, contra 67,7 milhões em 2009.

No entanto, a empresa teve de amargar um recuo em participação de mercado, de 39% para 33,1%. Em segundo lugar, aparece a RIM, com 48,8 milhões de unidades vendidas em 2010. Sua participação de mercado passou de 16,1% para cerca de 20%.

Em terceiro lugar está a Apple, com 47,5 milhões de iPhones vendidos em todo o mundo. Sua participação de mercado aumentou de 14,5% para 15,7% em um ano.
 

Leia Também