Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

DROGAS

Mais de 12 toneladas serão incineradas

10 MAI 2011Por da redação00h:01

A Polícia Civil do Estado vai incinerar hoje cerca de 12 toneladas de drogas apreendidas em ações das forças policiais que atuam em Mato Grosso do Sul. A ação está marcada para as 9 horas no frigorífico JBS Friboi, na rodovia BR-060 – saída para Sidrolândia, na Capital.

Segundo o delegado adjunto da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), Marco Antônio Balsanini, as drogas representam o montante de apreensões realizadas no último ano, considerando o período desde maio de 2010, por delegacias de diversos municípios, Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Polícia Militar e Polícias Rodoviárias Federal e Estadual.

“É um ato aberto para a população que mostra ao cidadão o resultado do trabalho policial”, observa Balsanini, que explica ainda que a incineração costumeiramente ocorre pelo menos duas vezes ao ano para a destruição dos entorpecentes que ficam sob custódia da Denar, guardadas no cofre da delegacia.

Das drogas que serão incineradas, 170 quilos representam substâncias como cocaína e pasta-base, o restante é constituído por maconha e derivados da erva, conforme aponta o delegado adjunto da Denar.

O delegado também esclarece que o local para a realização da incineração é escolhido conforme a segurança que ele oferece. O quesito segurança é observado também na responsabilidade ambiental, “precisa ser em locais que tenham filtro nas caldeiras para evitar que a substância tóxica chegue a comunidades próximas”, diz. As incinerações devem contar com a presença obrigatória de representantes do Ministério Público e autoridades sanitárias.

Balsanini explica que as drogas só podem ser incineradas pela Polícia Judiciária com a devida autorização legal. Todo o entorpecente apreendido é encaminhado para perícia para a realização de exame definitivo que vai apontar se trata-se de substância entorpecente ilícita. Uma parte da droga é extraída e guardada para eventual contraprova e o restante fica sob aguardo da autorização judicial para ser encaminhada para incineração. Outra perícia é feita por amostragem antes do ato de destruição do entorpecente.

 

Leia Também