Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Maioria recebe assistência das companhias

Maioria recebe assistência das companhias
18/07/2010 21:51 -


Novas regras estabelecidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que determina acomodação e alimentação para passageiros em espera nos aeroportos,  parecem estar sendo cumpridas em Campo Grande. No entanto, não existe atendimento da Anac nos fins de semana no Aeroporto Internacional da Capital – local onde os passageiros que tiverem problemas com as companhias aéreas devem recorrer. O atendimento acontece apenas de segunda à sexta-feira.  
“Estou em Campo Grande desde quinta-feira e a companhia aérea (TAM) providenciou a minha hospedagem”, disse Denise de Souza, que tentava embarcar para São Paulo, mas foi obrigada a ficar na cidade. Outro passageiro, Flávio de Matos,  que tentava voltar para casa, depois de uma viagem de férias onde conheceu o Pantanal, disse que foi acomodado para pernoitar na sexta-feira e não teve problemas. “Já basta o problema de não conseguir chegar em casa”, desabafou.
As companhias aéreas também embarcaram passageiros que ficaram “presos” em Campo Grande por ônibus para alguns destinos. Segundo as regras da Anac, após uma hora de espera, a empresa deve oferecer algum meio de comunicação, como telefone ou internet. Após duas horas, o passageiro tem direito à alimentação e depois de quatro horas de atraso do voo, passa a ser obrigatória a acomodação em local adequado como uma sala no aeroporto, ou se for necessário, um hotel. As regras valem mesmo em casos de atrasos provocados pelo mau tempo. (MR)

Felpuda


Mensagens trocadas por aí mostram que deverá “virar moda” políticos anunciarem que testaram positivo para a Covid-19. E sem medo de dizer que isso é porque o presidente Jair Bolsonaro anunciou ter sido infectado, e aí essa tchurminha estaria interessada também em ganhar holofotes. Porém, ressaltam que, como não se pode duvidar de coisa séria, o jeito é desejar “restabelecimento”. E não deixam de lembrar que o risco é a população descobrir que não fazem a menor falta. Essa gente...