Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

TECNOLOGIA

Maioria compra novo celular
antes de buscar assistência

16 MAR 14 - 07h:00g1

Com a rápida evolução da tecnologia, os aparelhos de celular são os eletroeletrônicos que mantemos por menos tempo. É o que aponta uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) feita em nove capitais do país.

Só em 2013 foram vendidos 61 milhões de aparelhos celulares no Brasil.

Os dados vêm de uma pesquisa que ouviu 800 pessoas em nove capitais brasileiras e constatou que uma em cada três pessoas trocam o celular porque ele não funciona e mais de 81% compram um novo aparelho antes de buscar uma assistência técnica.

“Isso mostra que de fato as pessoas estão cada vez mais expostas a querer comprar, ter uma modernidade do aparelho. Mesmo com o anterior funcionando. Isso se deve muito por conta da tecnologia que avançou muito rapidamente”, explica o pesquisador do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), João Paulo Amaral.

Com o celular cada vez mais descartável imagine o que sobram de telefones e a grande questão é aonde descartá-los. Eles não podem ser jogados em qualquer lixeira.

“A gente tirou da natureza recursos naturais, a gente fabricou esse equipamento utilizando recursos naturais pesados, esses metais pesados causam danos para o meio ambiente e para a nossa saúde. Alguns são até cancerígeno”, alerta o diretor-presidente de cooperativa de descarte de lixo eletrônico, Alex Pereira.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Pan, BMG e Bradesco lideram ranking de reclamações contra bancos do BC

ECONOMIA

Superintendência do Cade decide arquivar inquérito contra bandeiras de cartões

BRASIL

Quadrilha desviava cartões de crédito remetidos pelos Correios

Estado restaura as MS-164 e MS-384, vias de escoamento e integração da fronteira
TRANSPORTES

Estado restaura as MS-164 e MS-384, vias de escoamento e integração da fronteira

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião