sábado, 21 de julho de 2018

Maior orçamento continuará nas mãos do PR

17 JAN 2011Por 00h:00

A bancada federal já tem os novos nomes para ocupar a chefia de superintendências regionais dos órgãos federais. O maior orçamento no Estado, no entanto, deve continuar como está. O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) de Mato Grosso do Sul deve receber, em 2011, cerca de R$ 120 milhões para manutenção das rodovias federais.

Em 2010 foram R$ 220 milhões, mas neste ano deve ser menor devido aos cortes do orçamento. Na superintendência local deve continuar Marcelo Miranda, indicado pelo PR.

A Eletrosul, disputada pelo PDT em nível nacional com PMDB e PT, receberá, apenas para a Hidrelétrica de São Domingos, em Água Clara, R$ 223 milhões, mais os recursos do Programa Luz para Todos. O indicado do partido para a presidência será o deputado federal sul-mato-grossense Dagoberto Nogueira, candidato derrotado ao Senado em 2010.

A tão cobiçada Funasa (Fundação Nacional de Saúde), que volta para o comando do PT, passa a ser coordenada pelo ex-secretário de Estado de Infraestrutura e Habitação, Carlos Augusto Longo Pereira. Ele substitui Flávio Brito, que é do PPS, mas é indicação da cota do PMDB. Longo, que também foi diretor-presidente da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), vai administrar um orçamento de R$ 50 milhões para continuidade das obras do PAC Saneamento, que em 2010 receberam R$ 70 milhões do governo federal. A indicação do nome dele foi feita pelo grupo de Orcírio.

Além de "desalojar" o PMDB, a briga dos bastidores envolve também as correntes internas do PT em Mato Grosso do Sul. Disputam as indicações a Democracia Socialista, liderada por João Grandão, a Construindo um Novo Tempo, do senador reeleito Delcídio, do deputado federal Antônio Carlos Biffi e dos deputados estaduais não-reeleitos Pedro Teruel e Amarildo Cruz, e a Construindo um Novo Brasil, do ex-governador José Orcírio dos Santos e dos deputados Vander Loubet (reeleito a federal) e Paulo Duarte (reeleito a estadual).

Pedro Teruel, derrotado nas eleições do ano passado, deve assumir o Incra no Estado, por indicação da CNT. Outro derrotado, Amarildo Cruz, está indicado a substituir David Lourenço no Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

No Ministério do Desenvolvimento Agrário, o grupo de Orcírio indicou Ananias Costa, mas a Democracia Socialista não abre mão do espaço.

Não devem sofrer alterações também as chefias da Superintendência Federal de Agricultura (SFA), com Orlando Baez, dos Correios, com João Rocha, e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com Antônio Benedito Dotta. (FB)

Leia Também