terça, 14 de agosto de 2018

Minas Gerais

Mãe adotiva precisa comprovar para a Justiça que está amamentando bebê

18 MAI 2011Por g118h:30

Um bebê que ainda não completou dois meses de vida está envolvido em uma disputa judicial em Alfenas, no Sul de Minas. A Justiça quer que a mãe adotiva comprove que está amamentando a criança.

De acordo com o Tribunal de Justiça (TJ), depois de ser doado pela mãe a um casal adotivo, o menino foi levado para um abrigo por ordem judicial. Mas uma liminar do TJ fez com que o bebê voltasse para o casal com o argumento de que estava sendo amamentado. Ainda de acordo com o TJ, a decisão é temporária, de caráter urgente, até a decisão final.

Na tarde desta terça-feira (17), a mãe adotiva realizou um exame no Hospital Alzira Velano para constatar que está produzindo leite. O Ministério Público quer saber se ela está realmente em fase de aleitamento. A mulher deu à luz um bebê que morreu em dezembro do ano passado e por isso ainda conseguiria amamentar.

A Justiça determinou que uma perícia médica fosse feita e um pediatra vai avaliar se a mãe vem tomando medicamentos para produzir leite e, também, se o bebê está se alimentando exclusivamente do leite materno. Ainda conforme a determinação, os relatórios médicos deverão ser apresentados de 15 em 15 dias.

Na chegada ao hospital, a mulher mostrou-se tranquila em passar pelo procedimento. “Estou muito confiante porque é a verdade. Ele amamenta mesmo, não tenho nada que esconder”, afirmou a mãe adotiva.

Para a advogada da família, Vilma da Silva Batista, a única preocupação é com a saúde do bebê, que poderia contrair doenças se ficar tantas vezes exposto ao ambiente hospitalar. “Ela tem o leite materno, podem examiná-la. Em relação ao recém-nascido, trata-se de um bebê com menos de dois meses de idade. Com isso a maturação do sistema imunológico é lenta e se ele ficar exposto a ambientes de riscos, ele pode contrair doenças”, diz.

Através da assessoria, a juíza Adriani Garcia informou por telefone que não irá se pronunciar sobre o caso, porque ele corre em segredo de justiça e envolve um menor. O laudo que irá comprovar ou não se a mãe adotiva está amamentando o bebê de maneira natural deve sair até a próxima quinta-feira (19).

Leia Também