terça, 17 de julho de 2018

saída do governo

Lula turbinou prefeituras do PT ao sair

6 FEV 2011Por folha online13h:41

No último ano do mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cidades administradas pelo PT e por partidos que integram a coalizão governista foram as mais beneficiadas na distribuição de investimentos da União.

Levantamento feito pela Folha mostra que, dos 20 municípios que mais receberam recursos federais em relação ao número de eleitores, 7 são chefiados pelo PT e 6 pelo PMDB --o restante, por aliados (PP, PSB, PDT, PC do B e PR). As siglas têm cargos no governo.

Painel: Fórum Social Mundial contará com Lula e ministros dilmistas
Fantasia de operário vai retratar ex-presidente no Carnaval em SP
Mateus Bruxel/Folhapress
Lula e o prefeito Luiz Marinho durante inauguração de UPA
O ex-presidente Lula e o prefeito de São Bernardo do Campo, o petista Luiz Marinho, durante inauguração de UPA local

O levantamento foi feito com base nos dados do Portal da Transparência da CGU (Controladoria-Geral da União). O total de verba repassada foi dividido pelo número de eleitores.

A Folha selecionou as 80 maiores cidades brasileiras que, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, têm hoje mais de 200 mil eleitores --a única capital que não atinge o número é Palmas (TO).

Esses recursos são distribuídos por meio de convênios firmados pelos prefeitos com ministérios em Brasília.

O dinheiro é usado para obras de saneamento, habitação e construção de hospitais, escolas e quadras esportivas, entre outros.

As próximas eleições municipais serão no ano que vem. As obras que poderão ser capitalizadas eleitoralmente pelos prefeitos já estão em execução e serão inauguradas na véspera das eleições.

CAMPEÕES

A Prefeitura de Maringá (PR) foi a que mais recebeu verbas no ano passado: R$ 103,3 para cada um dos seus quase 248 mil eleitores. A cidade é administrada pelo PP.

A maior fatia dos recursos trata de obras na linha férrea e em rodovias, por meio do Ministério dos Transportes.

O prefeito da cidade é Sílvio Barros (PP), irmão de Ricardo Barros (PP), ex-vice-líder e influente articulador do governo na Câmara.

Três cidades administradas pelo PT se destacam na lista: Porto Velho (RO), com R$ 86,6 por eleitor; São Bernardo (SP), com R$ 79,2; e Canoas (RS), com R$ 65,3.

Para visualizar o salto, em 2009, esses valores foram, respectivamente: R$ 31,5, R$ 2,4 e R$ 21,3.

Em Canoas, o maior montante é para construção de escolas. Em Porto Velho, a verba é diversificada.

São Vicente, no litoral paulista, também tem ótima média: R$ 99 por eleitor. Mas a maior parte é de convênio de R$ 15 milhões assinado pelo prefeito Tércio Garcia (PSB) com o Ministério de Ciência e Tecnologia, cota do PSB no governo até 2010.

A finalidade é a implantação de um portal de gestão em "tecnologia e inovação".

Por outro lado, o ranking aponta que, das 10 cidades que estão no rodapé da tabela, 4 são do PSDB. A mais bem colocada entre as gestões tucanas é São Luís (MA), com R$ 14,9 por eleitor. No caso do DEM, a melhor posicionada é Blumenau (SC) --R$ 23,9. Administrada pelo DEM, São Paulo é a 69ª no ranking, com R$ 4,8.

Nesse grupo dos 80 maiores municípios, o PT governa 21, seguido de 16 do PMDB. Os tucanos têm dez cidades.

Leia Também