ESPORTES

Lula encontra-se com Ganso e Neymar em São Paulo

Lula encontra-se com Ganso e Neymar em São Paulo
24/08/2010 09:41 -


São Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou a sua passagem pela cidade de São Paulo para se encontrar, na tarde de ontem, com os santistas Paulo Henrique Ganso e Neymar, no Hotel Transamérica. Entre sorrisos e conselhos, Lula parabenizou o atacante por ter recusado uma proposta do Chelsea (ING) e permanecer no Santos.
“Eu elogiei o presidente do Santos para o Orlando (Silva, ministro dos Esportes). Achei uma atitude corajosa, porque ele brigou para que o Neymar e o Ganso continuassem jogando no Brasil. Mesmo porque não é fácil segurar dois grandes jogadores como eles”, disse.
“Convencer a recusar 30 milhões de euros, é difícil... Então eu achei extraordinário. É claro que os meninos precisam ganhar o que merecem, porque eles são artistas do futebol”, completou o presidente.
Já para o ministro dos Esportes, Orlando Silva, a permanência dos Meninos da Vila no Peixe significou uma nova era no futebol brasileiro. “Eu acho que a permanência do Neymar e do Ganso no Santos vai marcar uma nova fase do futebol no Brasil. A diretoria do Santos foi muito competente em mantê-los, e agora eu acho que temos um exemplo a seguir para segurar os nossos talentos”, afirmou.
Animado, Neymar agradeceu os elogios e garantiu que vai lembrar deste gesto pelo “resto da vida”. Tímido, Ganso comentou sobre a felicidade de se encontrar com o presidente, mas lamentou a rapidez do encontro. “Foi legal. Ele nos deu parabéns pela nossa decisão e foi tudo muito rápido”, disse.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".