Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 16 de outubro de 2018

Lula aproveita o PAC 2 para inflar a candidatura da ministra

10 MAR 2010Por 10h:05
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer lançar o PAC 2 – Programa de Aceleração do Crescimento – no dia 29 de março, cinco dias antes da data-limite para a ministra- chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, deixar sua cadeira de gestora do governo e “mãe” do programa. Na tarde de ontem, houve mais uma rodada de reuniões sobre o PAC, com novas discussões das áreas de transportes e portos. O governo evita detalhar os projetos que quer deixar assegurados no Orçamento da União do ano que vem, porque quer lançar o PAC com grande festa e muita pompa, para inflar a candidatura de Dilma. Na reta final antes da saída da ministra, Lula dedica boa parte do seu tempo a ajudar na campanha da sua candidata à sucessão no Planalto. Dos cinco dias úteis desta semana, Lula estará três deles com Dilma à tiracolo pelo País e nos outros dois dias, dedicado às discussões do PAC, plano que não será colocado em prática por este governo. A prioridade do PAC 2 é focar em projetos que atendam as regiões metropolitanas das grandes cidades, mostrando que há um planejamento para o futuro e que, com Dilma no Planalto, haverá continuidade do atendimento das regiões mais carentes. O PAC 2 está sendo feito pelo mesmo Lula que, há dias, disse ao jornal “O Estado de S. Paulo” que evitou lançar o PAC 1 na campanha de 2006 para evitar acusações de lançar um programa com objetivo eleitoral. Originalmente, a reunião de ontem seria para tratar de energia, transportes e portos. Mas a agenda de energia foi transferida para amanhã. No mesmo dia, também serão discutidas propostas de infraestrutura social e urbana. Seis ministros e dirigentes de empresas do governo, como DNIT e agências reguladoras como a ANTT, foram convocados para a reunião da área de transportes. A ideia do presidente Lula e seus principais assessores é que Dilma deve aproveitar o espaço no noticiário que a oposição, sem candidato formal, ainda não consegue preencher. O Planalto está convencido de que Dilma deve exibir ao máximo o rosto de candidata e não esperar o anúncio oficial da candidatura do governador paulista, José Serra (PSDB), e a possível presença do governador mineiro, Aécio Neves. Lula orientou a ministra a aumentar, neste mês de março, a exposição pública em eventos em Brasília, em São Paulo e no sertão nordestino. Hoje, Dilma viajará com Lula a São Paulo, principal reduto do PSDB. A ministra e o presidente inauguram uma usina termelétrica em Cubatão. Depois, sozinha, ela visita a Feicana, uma feira promovida pelo setor do álcool em Araçatuba. Na sexta- feira, Dilma viajará com Lula a Curitiba, onde visitarão a Refinaria do Paraná, da Petrobras. Ela ainda poderá esticar sua viagem a Londrina, onde visitaria um call center. Antes de se afastar do cargo, o que deve ocorrer até o dia 3 de abril, Dilma deve fazer um giro pelo principal reduto eleitoral do presidente. Ela acompanhará Lula numa viagem ao sertão nordestino no próximo dia 23. O roteiro inclui canteiros de obras da ferrovia Transnordestina, em Salgueiro, semiárido pernambucano, e Paulistânia, no Piauí. No dia 26, a dupla vai à Bahia, onde deverá anunciar entrega de residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”, em Salvador, e visitar as obras de um gasoduto em Itabuna, no sul do Estado.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também