Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 13 de dezembro de 2018

contribuição

Lula aceitaria mediar crise na Líbia

7 ABR 2011Por r700h:00

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem  (6) que tem “discordância política e ideológica” com o líder da Líbia, Muamar Gaddafi. Lula não descartou, porém, contribuir para solucionar a crise líbia.

"É muito difícil eu falar, porque ninguém me chamou. Não sei se ninguém quer", disse. 

Lula esteve em Washington, onde participou de um evento promovido pela Microsoft. 

"Se alguém, a minha presidente ou alguém, achasse necessário, e falasse: 'Bom, o Lula pode contribuir', eu contribuiria tranquilamente".

Lula citou as discordâncias com Kadhafi ao ser questionado por repórteres sobre sua relação com o líder líbio. Durante seu governo, Lula manteve uma relação cordial com Kadhafi. Em 2003, o então presidente foi recebido em Trípoli pelo coronel, em uma viagem que provocou polêmica no Brasil.

O líder líbio, que enfrenta uma revolta popular, vem sofrendo crescente pressão da comunidade internacional para deixar o poder. Forças contrárias a seu governo já dominam parte do país.

No mês passado, o Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) autorizou uma ação militar na Líbia, para implementar uma zona de exclusão aérea e proteger a população civil de ataques por parte das forças do governo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também