Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

APÓS 8 ANOS

Luís Fabiano revê o Timão: 'chegou a hora'

Luís Fabiano revê o Timão: 'chegou a hora'
26/08/2012 00:00 - terra


O último clássico de Luís Fabiano contra o Corinthians foi em 2004. De volta ao São Paulo no ano passado, o atacante reencontra o rival pela primeira vez neste domingo, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro, e admite: não via a hora de jogar o duelo tradicional.

"Ainda não joguei contra o Corinthians desde que voltei, e chegou a hora. A expectativa é muito grande. Já esperava por esse jogo desde o ano passado. Agora é entrar em campo e fazer meu máximo e o que esperam de mim, que é fazer gols", disse o jogador.

Recuperado de estiramento na coxa esquerda, o camisa 9 retorna ao time depois de seis partidas e tem a confiança da torcida. Primeiramente porque é o artilheiro da temporada. Em segundo porque, no histórico de cinco jogos com o Corinthians, venceu três (perdeu os outros dois) e fez quatro gols.

"Nessa hora temos de nos superar, conto com a ajuda do grupo. Todos com uma entrega muito grande em campo. É uma partida em que cada um precisa estar bem e ciente da importância que será esse clássico", disse o são-paulino.

"Jogador tem de estar acostumado com a pressão, independentemente de estádio e torcida. Estamos em um grande clube, e a pressão sempre vai existir. É importante contar com todos do elenco neste momento, com experiência, juventude e vontade de vencer", concluiu Luís Fabiano.

Além dele, Douglas retorna ao time. Lateral direito de ofício, ele vai atuar na esquerda por conta da suspensão de Cortez. Em seu lugar, seguirá o zagueiro Paulo Miranda improvisado.

O São Paulo subirá ao campo do Pacaembu, às 16h (de Brasília) de hoje (26), com a seguinte formação: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rhodolfo, Rafael Toloi e Douglas; Denilson, Paulo Assunção, Maicon e Jadson; Lucas e Luís Fabiano.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.