Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

NOVA ERA

Love comanda a vitória do Flamengo sobre o Náutico

11 AGO 2012Por g122h:15

O Flamengo conseguiu na noite deste sábado sua segunda vitória seguida na era Dorival Júnior. Depois de bater o Figueirense por 2 a 0 no meio de semana, o time recebeu, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, a valente equipe do Náutico e conseguiu triunfar, novamente pelo placar de 2 a 0. Vagner Love, outra vez, fez os dois gols da partida. É a primeira vez que o atacante, que até quarta-feira vinha de oito jogos sem gol, marca duas vezes em duas partidas consecutivas com a camisa do Fla. Ele passou a dividir a artilharia do Brasileirão com Alecsandro, do Vasco, e Fred, do Fluminense - todos somam oito gols.

Com o resultado, o Flamengo chegou a 22 pontos e assumiu a nona colocação do Campeonato Brasileiro. O Náutico, com 17 pontos, aparece na 12ª posição na tabela após 16 rodadas.

Liedson fez sua estreia, ao entrar no lugar de Thomás aos 21 minutos do segundo tempo. Teve tempo para três finalizações, uma delas com estilo, de voleio, que fez Gideão espalmar para escanteio. Em outra, recebeu cruzamento e cabeceou mal.

- Faltou um golzinho ali. Na hora a iluminação me atrapalhou, e (a bola) bateu no meu rosto quando ia cabecear. A minha atuação e a do time foram boas - afirmou Liedson, que atuou com a camisa 31, na saída de campo.

O Náutico, que viu o adversário ficar com a bola por bem mais tempo (61% a 39%), não ficou tão atrás em relação a finalizações. Foram 12 (sendo quatro chances reais), contra 14 do Flamengo (seis chances reais).

- Está faltando atenção. Entramos desligados e acabamos sofrendo dois gols. No segundo tempo voltamos melhor, mas não deu para inverter o placar - afirmou o goleiro Gideão, autor de duas defesas difíceis, assim como o adversário Felipe.

A primeira partida deste Brasileirão no Raulino de Oliveira teve 7.073 pagantes (9.308 presentes), com renda de R$ 130.445. Irregular e fofo, o gramado apresentou falhas em algumas partes do campo, fazendo com que a bola quicasse muito.

O Flamengo voltará a campo na próxima quarta-feira, contra o Palmeiras, na Arena Barueri. No mesmo dia, o Náutico receberá o São Paulo, nos Aflitos.

Love em noite inspirada

O técnico Dorival Júnior resolveu manter o que deu certo na rodada passada. Mandou a campo praticamente a mesma formação da vitória sobre o Figueirense, com as exceções de Wellington Silva, que substituiu o suspenso Léo Moura na lateral direita, e Wellinton, no lugar de Thiago Medeiros, machucado. Na frente, Vagner Love teve a companhia dos jovens Thomás e Negueba, abertos pelas pontas.

No lado do Náutico, Alexandre Gallo também apostou em receita de sucesso. O time foi quase o mesmo que empatou com o Inter, em Porto Alegre, no meio de semana. As mudanças foram apenas a volta de Ronaldo Alves na zaga (não pôde enfrentar o Colorado por questões contratuais) e a entrada de Cléverson no meio (Martinez cumpriu suspensão).

O jogo começou com o Flamengo buscando o ataque, mas foi o Náutico que teve as primeiras chances. Kieza teve duas oportunidades para abrir o placar, mas não foi feliz: primeiro, após bola desviada em cobrança de escanteio, o atacante não conseguiu concluir bem a gol, e Felipe agarrou sem dificuldades. Depois, em bela jogada pessoal pelo lado esquerdo da área, bateu firme e obrigou o camisa 1 rubro-negro a fazer bela defesa.

O Flamengo, entretanto, tinha Vagner Love com fome de bola. E ele mostrou seu poder de decisão ao abrir o placar aos 14 minutos. Após cobrança de lateral, Love girou em cima da marcação, penetrou na área, driblou o zagueiro Marlon e bateu firme, cruzado, para fazer 1 a 0. Gideão ainda tocou na bola, mas não foi capaz de evitar o gol.

Em vantagem, o Rubro-Negro passou a ter o domínio da partida. Com Negueba e Thomás dando trabalho pelas pontas e com um toque de bola sólido no meio de campo, o Flamengo foi senhor do jogo no primeiro tempo.

Antes de ampliar sua vantagem, o Rubro-Negro criou oportunidades de gol. Renato, em cabeçada aos 32, obrigou Gideão a fazer um milagre. Aos 43, porém, o goleiro do Náutico nada pôde fazer. Ronaldo Alves tentou driblar Love na entrada da área e perdeu a bola. O atacante penetrou e bateu cruzado, na trave. A bola voltou para o próprio Love, que teve calma para cortar para o meio e bater no canto, desta vez com endereço certo: 2 a 0. Os jogadores flamenguistas terminaram a etapa inicial ouvindo os gritos de "o campeão voltou" vindos da arquibancada.

Kim dá novo gás ao Náutico; Liedson estreia

Na volta para o segundo tempo, o técnico Gallo tratou de mexer no time do Náutico. Cleverson deu lugar a Kim, que em seu primeiro lance já agitou a partida. Fez boa jogada pela direita e bateu cruzado na direção de Kieza. O atacante furou na cara do gol e perdeu grande oportunidade de diminuir a desvantagem do Timbu.

O Flamengo se esforçou para tentar tomar de novo as rédeas da partida. Aos oito minutos, Thomás fez grande jogada pelo lado esquerdo da área e bateu cruzado. Ronaldo Alves cortou para escanteio, debaixo dos paus, e por pouco não fez um gol contra.

O Náutico, avançando em velocidade pelas pontas, começou a dar trabalho. Aos 15 minutos, Dorival Júnior se viu obrigado a fazer sua primeira alteração. O lateral Wellington Silva, que já tinha um cartão amarelo e mostrava dificuldade na marcação, foi retirado do jogo. Ibson entrou na partida, para compor o meio, e Luiz Antonio foi deslocado para a lateral.

Aos 17 minutos, a torcida presente no Raulino de Oliveira começou a pedir por Liedson. O atacante foi chamado logo depois por Dorival Júnior e se preparou para fazer sua estreia. Pisou o gramado aos 21 minutos, na vaga de Thomás, muito aplaudido pelos torcedores.

Na primeira jogada envolvendo o Levezinho, Vagner Love deu um passe em profundidade buscando o novo companheiro, mas a arbitragem corretamente marcou impedimento. Pelo Náutico, Kim continuava como homem mais perigoso. Aos 26, ele costurou pelo meio e soltou a bomba de fora da área. Felipe bateu roupa, mas a zaga do Fla pegou a sobra e afastou o perigo.

Os dois técnicos queimaram suas últimas substituições em seguida. Dorival tirou Negueba e lançou Bottinelli. No Timbu, Gallo mandou o time ao ataque. Rhayner saiu para a entrada de Rico, que tem características mais ofensivas. O lateral Douglas Santos deu lugar a Lúcio.

Aparentando estar mais inteiro no jogo, o Náutico foi para a pressão. Passou a rondar mais a área do Flamengo, que baixou o ritmo. E Kim teve uma chance de ouro para diminuir. Após bobeada incrível de Welinton, que escorregou e caiu, o jogador do Náutico entrou cara a cara com Felipe, mas concluiu muito mal e isolou a bola.

O Rubro-Negro passou a esperar o Náutico para tentar sair nos contragolpes. O time pernambucano, valente, tentou até o fim diminuir o placar, mas não foi capaz. Liedson, já no apagar das luzes, ainda teve a chance de marcar seu primeiro gol no retorno ao Fla, de cabeça, mas a bola saiu mascada. A torcida flamenguista, satisfeita com o que viu, ainda gritou "olé" nos minutos finais.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também