Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 19 de dezembro de 2018

INTERIOR

Longhi é indiciado por formação de quadrilha

1 ABR 2011Por DOURADOS NEWS12h:00

O vereador Dirceu Longhi (PT) e sua esposa, Arlete Pereira de Souza, foram indiciados pela Polícia Federal de Dourados por formação de quadrilha e cárcere privado. Eles são acusados de incentivar e financiar a invasão do prédio da Funai (Fundação Nacional do Índio), no final de 2009.

O inquérito policial foi finalizado no último dia 22 e, segundo as investigações, Dirceu e Arlete teriam dado ordem para que os indígenas que passaram meses acampados em frente a Funai, invadisse o local, para forçar a saída da então administradora da Funai, Margarida Nicoletti.

O intuito da ação era que Arlete Pereira assumisse a Funai e usasse o órgão em benefício da então candidatura de Dirceu Longhi a Deputado Estadual. Os dois foram indiciados por infração aos artigos 148 e 288, do Código Penal. O inquérito foi relatado e encaminhado ao Ministério Público Federal de Dourados.

Arlete Pereira exercia o cargo de responsável pela Funai de Ponta Porã e há cerca de 60 dia pediu exoneração

Em resposta ao Dourados News, o vereador Dirceu Longhi, disse que já prestou depoimento à polícia e que não tem nenhuma relação com caso. “O fato de minha mulher ser indicada à Funai naquela época não é prova de nada, os que invadiram é que têm que responder”, disse.

O vereador falou que as acusações são baseadas em depoimentos de três ou quatro indígenas que, segundo ele, o tentaram extorquir e “não conseguiram agora tentam me incriminar”, falou. Longhi disse, ainda, que há indígenas que participaram do acampamento em frente a Funai e que farão parte de sua defesa.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também