Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 16 de fevereiro de 2019 - 15h28min

Longas do “Cine Brasil” falam de amor, guerra, tragédia e família

23 MAR 10 - 08h:02
Quatro longa-metragens serão exibidos na edição de março do projeto “Cine Brasil – curtas e longas no centro”, entre hoje e sexta-feira, na sala Rubens Corrêa do Centro Cultural José Octávio Guizzo. Os filmes que compõem a mostra abordam aspectos como a guerra, o amor, a tragédia e a família. As exibições acontecerão às 18h30min e são gratuitas. O projeto é realizado sempre na última semana de cada mês, por meio do Núcleo de Audiovisual da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS). O primeiro filme a ser exibido é “Aleluia Gretchen”, obra mais conhecida do cineasta brasileiro Silvio Back. A história gira em torno de uma família que se refugia no Brasil, depois de deixar a Alemanha nazista alguns anos antes da Segunda Guerra Mundial. Eles adquirem um hotel, que se torna ponto de encontro de simpatizantes nazistas brasileiros. Os problemas de adaptação da família Kranz e seus encontros com os nazistas são o mote da obra. Amanhã, “O cineasta da selva”, de Aurélio Micheles, representa o gênero documental na seleção. Nele, é retratada a vida do documentarista Silvino Santos, que viveu de 1886 a 1970. Fatos são misturados à realidade inventada pelo menino, que nasceu em Portugal mas se apaixonou pela região amazônica. Ele viaja para o Brasil com 13 anos e inicia sua carreira como cineasta em 1913, testemunhando grandes acontecimentos, como a queda do monopólio borracheiro na região. A produção do Rio Grande do Sul, “Anahy de las missiones”, dirigida por Sérgio Silva, será exibida na quinta-feira. Em meio à Revolução Farroupilha, uma mulher chamada Anahy tenta prover sustento aos quatro filhos. A trama gira em torno da força e dos conflitos com os quais a mulher tem de lidar para manter a família unida em meio a tantas dificuldades. “Brasa adormecida”, de Djalma Limongi Batista, encerra a mostra. O filme, uma comédia romântica ambientada nos anos 60, coloca um triângulo amoroso no centro da trama. A peculiaridade está no fato de que os apaixonados são primos. O longa conta com a participação de atores famosos, como Maitê Proença e Edson Celulari nos papéis principais. João Benevenuto, organizador da mostra, alega que os filmes foram selecionados por já terem saído do circuito comercial. “São filmes difíceis de serem encontrados e desconhecidos do público mais novo. Pessoas com menos de 30 anos, provavelmente, não conhecem essas obras”, acredita. Segundo ele, em razão do horário das exibições, a classificação etária é de 16 anos.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

FIM DA ANGÚSTIA

Familiares de mulher que teve o corpo furtado realizam terceiro sepultamento

Rosilei Potronieli, de 37 anos, foi assassinada na semana passada em Terenos
MEIO AMBIENTE

Ministro contraria Ibama e diz que plantação em área indígena não é ilegal

Ambulância é arrombada e furtada  em pátio da Central de Regulação
CAMPO GRANDE

Ambulância é furtada em pátio da Central de Regulação

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo
FUTEBOL

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo

Mais Lidas