Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Lojas elevam em 6% vendas de material de construção

Lojas elevam em 6% vendas de material de construção
25/01/2010 08:24 - ADRIANA MOLINA


Mesmo com preços até 20% mais altos em 2009, os materiais de construção registraram acréscimo de 6% nas vendas no ano passado, segundo estimativa da Associação dos Vendedores de Materiais de Construção de Mato Grosso do Sul (Acomac). O índice supera o nacional, que apresentou aumento de 4,2% nas comercializações em relação ao ano anterior, conforme levantamento realizado pela Associação Nacional de Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). Segundo Fernando Cordeiro, presidente da Acomac, vários fatores contribuíram para o balanço positivo do setor. Entre eles a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e os incentivos do governo federal, por meio da Caixa Econômica Federal (CEF), que ofereceu mais crédito e facilidades a quem construiu ou reformou um imóvel em 2009. “Grande parte desse incremento foi no final do ano, época em que muitas pessoas reformam suas casas para o ano-novo”, avalia Cordeiro, lembrando que o aumento ocorreu mesmo com os materiais de construção mais caros no ano. Altas Os acabamentos tiveram acréscimos nos preços entre 8% e 10%. Já os tijolos e telhas foram os que mais encareceram no ano, em decorrência da falta de matéria-prima no mercado (barro), aumentando de 10% a 20% o custo ao consumidor final. “A mão de obra escassa também contribuiu para o aumento nos custos da construção civil”, explicou Cordeiro. Expectativa Mesmo com altos custos, a expectativa do setor para 2010 é de mais crescimento. Tanto a Acomac quanto a Anamaco esperam incremento de, pelo menos, 10% nas vendas de materiais de construção. E se depender do consumidor a previsão vai se confirmar. Em Campo Grande, as lojas do ramo estão sempre cheias. Algumas promoções atraem os compradores que, atrás desses produtos, acabam adquirindo outros mais caros para concluir a reforma ou a construção desejadas. Um desses consumidores é Ricardo Borges, corretor de imóveis. Ele foi a uma loja onde alguns produtos estavam com descontos para comprar materiais de acabamento. “Os materiais estão caros, mas estou aproveitando a promoção de alguns para reformar um banheiro neste início de ano, assim consigo economizar”, conta.

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...