Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Lançamento

Livro de médico reúne poesia e prosa sobre a caserna

22 NOV 2010Por CRISTINA MEDEIROS00h:20

O universo da caserna é um mundo à parte. Pouco se fala sobre sua rotina, seus personagens e acontecimentos internos. É um mundo fechado, onde os regulamentos, a hierarquia, a ordem e a obediência têm quer ser cumpridos à risca. Escrever sobre o dia a dia deste mundo é uma ousadia, especialmente para um militar, mesmo na condição de reserva.
Mas o médico Marcos Estevão dos Santos Moura decidiu que já era hora de reunir suas poesias e prosa sobre o assunto e hoje, às 19h30min, lança o livro “A caserna em versos e rimas e um pouco de prosa” (Life Editora), na Livraria Le Parole (Rua Euclides da Cunha, 1.126). em Campo Grande.

“Na verdade, a ideia primeira era contar de forma cômica sobre este universo; porém, depois, saiu este aspecto mais cômico e trata-se mesmo de uma crítica aos bastidores da vida militar”, explica Marcos Estevão, que é natural de Belém (Pará) e mora em Campo Grande desde 1993. Ele é graduado em Medicina, com especialização em Psiquiatria pela Santa Casa de Campo Grande e tem mestrado na área pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Médico do Exército no período de 1990 a 2006 – e, antes disso, por algum tempo na Aeronáutica – Marcos Estevão foi um observador diário dos meandros militares – ele se iniciou na vida militar em 1984 – reunindo subsídios para formar opinião sobre o que ele acredita ser uma “era que acabou”. “O militar precisa rever seus conceitos, se atualizar. É preciso apontar as falhas e humanizar as Forças Armadas. Enquanto na vida civil você pode ter opiniões divergentes, na caserna isso é tratato como indisciplina, insubordinação e é isso que tem que mudar”.

Usando uma linguagem de fácil assimilação, o autor usa a poesia para falar, por exemplo, sobre as patentes. “Trata-se do perfil em verso e rima do soldado, do sargento, do cabo, um perfil peculiar”. Na prosa, aborda o seu tempo como militar. “É quase autobiográfico, falo do que é a direção e a organização militar, sendo que eu defino esta última como sendo, na verdade, ‘uma desorganização militar’”.

Este é o primeiro livro lançado pelo médico e militar da reserva, que já havia participado de coletâneas. “Escrevo desde a adolescência, época em que participei de concursos estudantis”. Ele pretende reunir poesias sobre outros temas e lançar um novo livro no segundo semestre do próximo ano.

Leia Também