Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

LEILÃO

Linhão para Corumbá tem deságio de 49% em relação ao valor da RAP

10 DEZ 2010Por VERA HALFEN00h:00

O leilão promovido ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na Bolsa de Valores de São Paulo, foi vencido pela Elecnor Transmissão de Energia S/A, para construir a nova linha de trasmissão de energia em Mato Grosso do Sul. A empresa vencedora ofereceu R$ 16,6 milhões, o que representa um deságio (valor pago a menor) de 49,98% em relação ao valor da Receita Anual Permitida (RAP), fixado em R$ 33,2 milhões. Pelas regras fixadas pela Aneel, ganharia quem oferecesse o maior deságio.

A construção da nova linha de transmissão vai reforçar a oferta de energia nos municípios fronteiriços com a Bolívia, viabilizando projetos de geração termelétrica a gás natural na região de fronteira e o crescimento da produção do setor de cimentos e metalurgia. A instalação do linhão deverá ficar pronta em 24 meses (dezembro de 2012), e vai gerar 1.350 vagas de emprego durante o período das obras. O valor do investimento é de R$ 270 milhões.

Para o senador Delcídio do Amaral (PT), a construção da linha vai permitir que as grandes empresas, que já estão instaladas na região, possam aumentar a produção. "A Vale tem um programa agressivo de exploração das minas de Urucum e para isso, vai precisar de energia. Não tenho dúvida de que muitos empresários que pensavam em implantar outros projetos, e não o fizeram, agora devem programar esses investimentos", diz.

Outras grandes empresas, segundo o senador, também dependem de maior oferta de energia para desenvolver seus projetos. Amaral revela que a nova linha de transmissão vai praticamente duplicar a oferta de energia na região. De acordo com o senador, hoje a região é servida por uma linha de 138 kV, que sai da subestação de Anastácio e, além de abastecer Corumbá e Ladário, atende também os municípios de Miranda e Bodoquena. Em função disso e também dos níveis de consumo registrados atualmente, a energia na região oscila muito, o que desestimula qualquer grande empreendimento industrial que exija uma oferta maior de eletricidade. O novo linhão, com uma tensão de 230 kV, disponibilizará 200 MW a mais na fronteira, injetando mais potência e aumentando a confiabilidade do sistema.

Trajeto
A Aneel trabalha com três alternativas de trajeto para a nova linha de transmissão. O primeiro deles segue integralmente os cerca de 270 km do traçado da Rodovia BR 262 de Anastácio a Corumbá. O segundo sai de Anastácio em paralelo à BR 262, mas na altura do Km 130 passa a acompanhar a linha férrea, retomando o rumo da BR 262 logo após a travessia do Rio Paraguai. A terceira hipótese sai de Anastácio também em paralelo à BR 262, mas na altura do Km 150 acompanha a MS 184 , conhecida como Estrada Parque Pantanal. A homologação do resultado do leilão e a adjudicação da concessão estão previstos para 18 de janeiro de 2011.

Leia Também