Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DOURADOS

Liminar suspende concurso do HU de Dourados que seria realizado no dia 9

Liminar suspende concurso do HU de Dourados que seria realizado no dia 9
07/03/2014 16:30 - DA REDAÇÃO


O Ministério Público Federal em Dourados (MPF/MS) conseguiu liminar na Justiça suspendendo as provas objetivas do cargo de Engenheiro de Segurança do Trabalho do concurso da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), em Dourados. A empresa gerencia as atividades do Hospital Universitário, ligado à Universidade Federal da Grande Dourados.

A prova estava marcada para este domingo (9), mas o edital não permitia que arquitetos concorressem à vaga, o que é estabelecido por lei. A vaga de Engenheiro de Segurança do Trabalho tinha como requisito a graduação em Engenharia, mais a especialização na área. Por lei, aqueles que possuem graduação em Arquitetura e Urbanismo, com a especialização, também têm direito a concorrer ao cargo. Questionada pelo MPF, a EBSERH afirmou que o cargo de arquiteto não existe no Plano de Cargos, Carreiras e Salários da empresa, e que a única opção que restou à estatal foi solicitar apenas o diploma de engenharia. 

O argumento do MPF, aceito pela Justiça, é que "o arquiteto com especialização, se aprovado, passa a ocupar o cargo de Engenheiro de Segurança do Trabalho, e não de arquiteto e urbanista. Se o argumento da EBSERH estivesse correto, biólogos e engenheiros não poderiam ser agentes da Polícia Federal, pois os cargos de biólogo e engenheiro não existem no plano de cargos e carreiras da PF". Na liminar, a Justiça Federal reforça a contradição que existe entre a lei e o edital do concurso: "Caso as provas acontecessem, e depois fossem anuladas, anularia a eficácia do concurso, causando ainda mais prejuízos àqueles que dependem de passagens e reserva de hotéis para fazer as provas".

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.