Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

quarta, 20 de fevereiro de 2019 - 12h43min

Liminar barrou atuação da PF na Caixa Preta

2 FEV 10 - 23h:43
A Polícia Federal avalia que o conjunto de provas da Operação Caixa Preta – investigação que aponta superfaturamento de R$ 991,8 milhões em obras de reformas e ampliações em 10 aeroportos, contratadas entre 2003 e 2006 – poderia ser muito mais “robusto” se a Justiça não tivesse ordenado a suspensão das diligências de buscas em endereços de empreiteiras e escritórios da Infraero. No relatório final da operação, documento de 188 páginas, a PF anota que o embargo atingiu etapa vital da missão que mirava documentos contábeis e arquivos de mídia. O impedimento foi decretado liminarmente em 2 de outubro pelo ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Vazamento de informações sigilosas, aliado à suspensão da medida cautelar de buscas, trouxe incalculáveis prejuízos ao que poderia ser ainda descoberto a respeito do conluio montado entre empreiteiras, altos funcionários da Infraero, projetistas e fiscais, num dos maiores casos já investigados sobre desvio de verbas públicas da história do País”, advertem os delegados César Leandro Hübner e Felipe Alcântara de Barros Leal.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Trabalhador contribuirá 40 anos para aposentar-se com 100% do salário
NOVAS REGRAS

Trabalhador contribuirá 40 anos para aposentar-se com 100% do salário

OPERAÇÃO FANTOCHE

Presidente da Fiems tem bens bloqueados e sigilo bancário quebrado após operação

Polícia Federal esteve na sede da FIEMS ontem (19)
Animais são envenenados   e morrem em bairro da Capital
ALERTA

Animais são envenenados
e morrem em bairro da Capital

Recém-nascida é encontrada  embaixo de tanque de lavar roupas
DOURADOS

Recém-nascida é encontrada embaixo de tanque

Mais Lidas