Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Liminar barrou atuação da PF na Caixa Preta

2 FEV 10 - 23h:43
A Polícia Federal avalia que o conjunto de provas da Operação Caixa Preta – investigação que aponta superfaturamento de R$ 991,8 milhões em obras de reformas e ampliações em 10 aeroportos, contratadas entre 2003 e 2006 – poderia ser muito mais “robusto” se a Justiça não tivesse ordenado a suspensão das diligências de buscas em endereços de empreiteiras e escritórios da Infraero. No relatório final da operação, documento de 188 páginas, a PF anota que o embargo atingiu etapa vital da missão que mirava documentos contábeis e arquivos de mídia. O impedimento foi decretado liminarmente em 2 de outubro pelo ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Vazamento de informações sigilosas, aliado à suspensão da medida cautelar de buscas, trouxe incalculáveis prejuízos ao que poderia ser ainda descoberto a respeito do conluio montado entre empreiteiras, altos funcionários da Infraero, projetistas e fiscais, num dos maiores casos já investigados sobre desvio de verbas públicas da história do País”, advertem os delegados César Leandro Hübner e Felipe Alcântara de Barros Leal.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Felpuda

Petição contra especial de Natal do Porta dos Fundos tem 335 mil assinaturas
POLÊMICA

Petição contra especial de Natal do Porta dos Fundos tem 335 mil assinaturas

ECONOMIA

Exportações de carne podem fechar 2019 com resultado recorde

Inca alerta sobre uso de dispositivos eletrônicos para fumantes
SAÚDE

Inca alerta sobre uso de dispositivos eletrônicos para fumantes

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião