Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Lideranças de territórios palestinos criticam ex-premiê israelense

11 JAN 14 - 13h:30FOLHAPRESS

Os movimentos que governam os territórios palestinos aproveitaram a morte do premiê israelense Ariel Sharon para criticá-lo. Na Cisjordânia, o secular Fatah, ao qual pertence o palestino Mahmoud Abbas, o presidente da ANP (Autoridade Nacional Palestina), classificou o israelense de "criminoso" e o culpou pelo assassinato do líder palestino Iasser Arafat.
"Esperávamos que ele [Sharon] comparecesse perante o Tribunal Penal Internacional como um criminoso de guerra", disse o líder do Fatah, Jibril Rabub. O Hamas, movimento radical islâmico que governa a faixa de Gaza, classificou a morte do premiê israelense de "momento histórico".

"Nós nos lembraremos de Sharon como o homem que matou, destruiu e provocou sofrimento a diversas gerações palestinas", disse o líder, Khalil al Hayya. Em Israel, o presidente Shimon Peres, que foi amigo e rival de Sharon, disse que o premiê foi um "corajoso soldado" e um "querido líder" que amou seu país e foi amado por ele.

"Ele foi um dos maiores protetores de Israel e também um dos seus mais importantes arquitetos, que não conhecia o medo." O atual primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, disse que Sharon viverá "para sempre no coração da nação". Em comunicado, ele expressou "profundo pesar".
 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Bolsonaro assina medida provisória que extingue o Dpvat
A PARTIR DE 2020

Bolsonaro assina MP que extingue o Dpvat

Polícia Civil troca comando de delegacias e cargos estratégicos
DANÇA DAS CADEIRAS

Polícia Civil troca comando de delegacias e cargos estratégicos

Produção leiteira em Mato Grosso do Sul tem queda de 47%
REDUÇÃO

Produção leiteira em MS tem queda de 47%

Cena literária
CRÔNICA

Cena literária

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião