Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ELEIÇÕES 2014

Líder do PMDB ataca presidente do PT nacional

4 MAR 14 - 16h:45FOLHAPRESS

Líder do PMDB na Câmara, o deputado Eduardo Cunha (RJ) defendeu hoje o rompimento da aliança nacional do partido com o PT.

Com críticas ao presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, Cunha disse que o PMDB "não é respeitado pelo PT" por isso os peemedebistas devem repensar a união com o principal aliado para as eleições de outubro. "A cada dia que passo me convenço mais que temos de repensar está aliança, porque não somos respeitados pelo PT", afirmou em seu perfil no Twitter.

Em entrevista, o peemedebista reiterou as críticas e a defesa do fim da aliança ao afirmar que Falcão desrespeitou o PMDB ao fazer críticas a lideranças da sigla. "Não preciso xingá-lo como fizeram outras lideranças do PMDB porque não sou igual a ele. Mas por onde passa o Rui Falcão, mais difícil fica a aliança", afirmou.

Cunha reagiu a supostas declarações do presidente do PT que, durante sua passagem no Sambódromo no último domingo, teria afirmado que o grupo liderado pelo deputado peemedebista está "insatisfeito" porque não foi contemplado na reforma ministerial da presidente Dilma Rousseff.

O deputado disse que a bancada do PMDB da Câmara, como decidiu coletivamente, não vai indicar nenhum nome na reforma ministerial mesmo que o governo decida contemplá-la com uma pasta no primeiro escalão. "A bancada do PMDB na Câmara já decidiu que não indicará qualquer nome para substituir ministros. Pode ficar tudo para o Rui Falcão", alfinetou.

Cunha também disse que Falcão age de "má fé" ao propagar versão de que a ala ligada ao deputado esteja negociando a liberação de emendas parlamentares para destrancar a pauta de votações da Câmara. "Não me compare com o que o partido dele fazia no Rio de Janeiro, doido atrás de boquinhas", disse o peemedebista. O presidente do PT não foi encontrado para comentar as declarações de Cunha.
Ameaças

Liderada por Cunha, a bancada do PMDB da Câmara decidiu adotar postura "independente" nas votações no Congresso desde que Dilma manifestou a intenção de retirar do grupo uma pasta na reforma ministerial. Os deputados decidiram não indicar nenhum nome à presidente e articulam a formação de um "blocão" com partidos insatisfeitos com o PT.  

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Governador sanciona lei que abre renegociações de dívidas com Agehab
HABITAÇÃO

Governador sanciona lei que abre renegociações de dívidas com Agehab

Capital já teve instalação de 67 semáforos e 60 sustituídos
CAMPO GRANDE

Capital já teve instalação de 67 semáforos e 60 sustituídos

Quatro são baleados após briga por banheiro em conveniência
CAMPO GRANDE

Quatro são baleados após briga por banheiro em conveniência

Governo assina acordo com Caixa para obras de esgoto em 16 municípios
SANEAMENTO BÁSICO

Governo assina acordo com Caixa para obras de esgoto em 16 municípios

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião