Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVA DATA

Licitação da Guaicurus será retomada no dia 10

Licitação da Guaicurus será retomada no dia 10
31/12/2013 00:00 - DA REDAÇÃO


A licitação da obra de recapeamento da Avenida Guaicurus, em Campo Grande, só deve ser retomada no dia 10 de janeiro. O recapeamento da Guaicurus era um dos previstos no único pacotão de obras apresentado pelo prefeito Alcides Bernal (PP) até agora, o “Recape em Ação”. Com a licitação atrasada em, pelo menos, três meses, a obra fica para 2014, de acordo com reportagem publicada hoje (31) no jornal Correio do Estado. Titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seintrha), Semy Ferraz afirmou, ontem, que a abertura das propostas de empresas interessadas em assumir a obra está prevista para o dia 10.

Segundo o secretário, a abertura dos envelopes deveria ocorrer no dia 27 de setembro. O cronograma não foi seguido, conforme Ferraz, devido à quantidade de recursos recebidos pela comissão de licitação da Prefeitura de Campo Grande. Uma das empresas interessadas em participar do certame, afirmou Semy, chegou a entrar com um recurso alegando que o edital exigia “muito acervo” - ou seja, comprovar que já havia executado obras semelhantes.

Após o edital ser revisto e a exigência reduzida, a mesma empresa entrou com um novo recurso, desta vez, alegando que era exigido “pouco acervo”. Devido à quantidade de recursos recebidos, a prefeitura resolveu suspender a licitação para “análise”, com retomada prevista para o início do ano. Apesar de já ter data certa para a abertura dos envelopes, o secretário municipal não citou nenhum prazo para o início das obras de recapeamento da Avenida Guaicurus. Novos recursos podem ser protocolados, após a abertura das propostas. A reportagem é de Daniella Arruda e Patrícia Belarmino.

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?