terça, 17 de julho de 2018

COMPLEXO SEGREDO

Liberada com atraso, nova avenida está sem iluminação

17 OUT 2010Por DANIELLA ARRUDA e ANAHI ZURUTUZA05h:47



Após ser inaugurado oficialmente no fim de agosto durante visita presidencial e demorar um mês para ser liberado para o trânsito, o prolongamento da Avenida Ernesto Geisel, que integra as obras do PAC Segredo,  agora enfrenta problema de “apagão”, por falta de iluminação pública. A prefeitura atribui a culpa da demora em tirar a via da escuridão à ação de ladrões, que vêm furtando fios e cabos de energia elétrica destinados à avenida.
“Os furtos atrapalham o andamento do nosso cronograma, já que a instalação tem que ser feita por etapas e só depois o trecho é energizado. Se os equipamentos são deixados no local para dar continuidade ao trabalho no outro dia, eles não ‘amanhecem’ lá ”, explicou o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco.
Moradores
A falta de luz da via recém-inaugurada é motivo de preocupação para moradores dos bairros do entorno. A dona de casa Patricia de Paula, 28 anos, mora há um ano no Residencial Gabura, próximo ao Bairro Octávio Pécora, e conta que casas de vizinhos já foram furtadas por estarem à beira da avenida. “É uma escuridão e agora que terminaram a obra fica muito fácil entrar na casas que dão de fundo para a avenida. Na minha vizinha entraram, roubaram uma televisão e ninguém viu porque foi à noite”.
O horticultor José Noboro Kakajo, 73 anos, mora há 70 anos em chácara às margens do Córrego Segredo. Ele diz estar acostumado com o “escuro”, mas com a conclusão da obra, a casa onde mora ficou exposta à beira da avenida e José diz temer pela segurança. “Tem gente trabalhando aí todos os dias. Acredito que não vai demorar para ligarem a luz, porque os postes já estão todos prontos. Mas, enquanto isso, a gente fica com um pouco de receio, porque pode chegar alguém aqui, à noite, para fazer mal para a gente e os vizinhos nem vão ver”.
Para Carlos Fernando, 59 anos, também morador do Residencial Gabura, a questão da segurança não é o maior problema. “Tenho cachorro”, explica. Mas, o borracheiro afirma já ter sido testemunha de dois acidentes de trânsito que ele acredita terem sido causados pela falta de iluminação. “Como é avenida nova o povo corre demais e sem luz a coisa fica piora ainda”.

Cabaça
A prefeitura enfrentou o mesmo problema na Avenida Fábio Zahran, por ocasião da inauguração da parte viária do Complexo Cabaça, do qual a via faz parte. Lá, segundo o secretário De Marco, foi preciso repor mais de três vezes a fiação em alguns trechos, por causa dos frequentes furtos. A previsão é de que a instalação da iluminação pública ao longo dos 4,5 quilômetros de extensão do prolongamento da Avenida Ernesto Geisel seja normalizada até o fim deste mês.

Leia Também