Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Liberação de recursos deve crescer quase 60% em MS

3 MAR 10 - 05h:48
Os recursos do Fundo Constitucional do Centro- Oeste (FCO) liberados para 2010 em Mato Grosso do Sul devem ser 59% superiores ao montante inicial previsto para o ano passado. De acordo com o Banco do Brasil (BB) a previsão é de que sejam aplicados cerca de R$ 955 milhões em projetos do setor empresarial e ainda custeio e investimentos para o rural. Em 2009 foram R$ 600 milhões que, mais tarde saltaram para R$ 814 milhões atendendo a 10.583 contratações. A ampliação do montante também pode ocorrer neste ano, pois o fundo é alimentado, além de recursos do Tesouro Nacional, Imposto de Renda e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), por retorno de operações e aplicações no mercado financeiro das verbas que não estão sendo utilizadas momentaneamente. Assim, o valor inicial pode ter acréscimos durante o ano por conta de juros e ganhos de capital dessas operações. No ano passado, o setor rural foi o que mais utilizou os recursos do fundo, totalizando R$ 502 milhões em investimentos, contra R$ 312 destinados ao empresarial. Já neste ano, o valor disponibilizado será dividido em duas partes iguais para atender aos segmentos empresarial e rural. Serão cerca de R$ 478 milhões para cada um. Segundo o analista do Banco do Brasil, José Luiz dos Reis, o setor rural não obteve nenhuma contratação em custeio agropecuário, embora o FCO aceite esse tipo de operação, já que o fundo abrange financiamentos de custeio e investimento. “O que ocorre é que esta não é uma prioridade já que existem linhas de crédito, como as de recursos controlados, que têm juros mais atrativos ao contratante - de 6,75%, por exemplo”, explica. Dos R$ 502 milhões que incrementaram a agropecuária em 2009, conforme Reis, cerca de R$ 82 milhões foram aplicados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e em projetos da Reforma Agrária. A maior parte do montante, R$ 420 milhões, foi para financiamentos de aquisição de máquinas agrícolas, compra de matrizes, reforma de pastagens e melhorias na atividade em geral. Cerca de R$ 147 milhões do FCO tiveram como destino as indústrias; outros R$ 10 milhões foram para as obras de infraestrutura; R$ 30 milhões para o turismo e, aproximadamente R$ 125 milhões em projetos na área de comércio e serviços. 2010 Neste ano, o setor rural terá disponível R$ 95 milhões para o Pronaf e Agricultura Familiar e cerca de R$ 383 milhões destinados à compra de maquinário, reforma de pastagens, aquisição de matrizes e demais melhoramentos na atividade rural. Já o empresarial contará com R$ 224 milhões para a indústria, cerca de R$192 milhões para comércio e serviços, R$ 32 milhões para infraestrutura e ainda mais R$ 30 milhões para o turismo
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Polícia investiga denúncia de criança estuprada por adolescente em associação de câncer infantil
CAMPO GRANDE

Mãe denuncia que filho foi estuprado por adolescente em instituição contra o câncer

Requalificação da 14 de Julho<br> já tem 85% das obras concluídas
REVIVA CAMPO GRANDE

Requalificação da 14 já tem 85% das obras concluídas

Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir voz de Deus"
PRESO EM CAMPO GRANDE

Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir Deus"

O primeiro robô brasileiro <br>com Inteligência Artificial, o Tinbot,<br> vêm à Campo Grande
TECNOLOGIA

O primeiro robô brasileiro com Inteligência Artificial, o Tinbot, vêm à Campo Grande

Mais Lidas