sábado, 21 de julho de 2018

usinas

Leilão de energia atinge o menor preço da história

17 DEZ 2010Por AGÊNCIA BRASIL15h:15

O 11º leilão de energia nova, ocorrido hoje (17) na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo, levou os preços do megawatt-hora (MWh) ao menor patamar da história. O valor médio de R$ 67,31 por MWh é o mais baixo já atingido em disputas organizadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para compra e venda de energia que será gerada em usinas do país.

No leilão de hoje, foram vendidos 968 megawatts, que serão gerados pelas futuras usinas Santo Antônio de Jari, no Amapá, e Teles Pires, na divisa de Mato Grosso com Pará. O consórcio Amapá Energia, formado pelas empresas ECE Participações e Jari Energética, arrematou a Usina de Santo Antônio oferecendo a tarifa R$ 104 por MWh. Não houve deságio porque o valor é igual ao preço mínimo de referência estabelecido pela agência reguladora.

Já o consórcio Teles Pires Energia Eficiente, formado pelas empresas Neoenergia, Eletrobras Furnas, Eletrobras Eletrosul e Odebrecht venceu a disputa pelo controle da futura Hidrelétrica Teles Pires. O grupo ofertou uma tarifa 33% menor do que o preço de referência e vai vender a energia produzida por R$ 58,35 o MWh.

Essa tarifa, segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tomasquim, é a menor já oferecida por uma só usina em todos os leilões feitos pela Aneel. Tomasquim disse que esses preços comprovam a eficiência das disputas de compra e venda de energia por meio de leilões. “Com este leilão, fechamos o ano contratando somente energia de fontes renováveis; alcançamos o menor valor por energia de uma usina; e o menor valor médio para um leilão de energia”, disse ele.

O diretor-geral da Aneel, Nelson Hübner, disse que “a redução [das tarifas] beneficia o consumidor, que usará uma energia mais barata quando as usinas começarem a produzir”.

Pelo contrato que os consórcios firmarão com Aneel, as usinas Santo Antônio do Jari e Teles Pires devem começar a fornecer energia em 2015. O fornecimento será feito por 30 anos. Os consórcios prometem investir R$ 4,8 bilhões nos empreendimentos.

Leia Também