Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SAÚDE

Lei acaba com longa espera por atendimento

5 JAN 14 - 00h:00LUCIA MOREL

A Prefeitura de Campo Grande tem 90 dias para regulamentar e outros 180 para colocar em prática uma lei promulgada pela Câmara de Vereadores que prevê o tempo máximo de espera para atendimento de pacientes nas unidades públicas e privadas de pronto atendimento em saúde da capital. Nenhum paciente poderá esperar mais de quatro horas para ser atendido, nos casos não graves. Já as emergências devem ser atendidas em no máximo cinco minutos.

Pelo texto, o atendimento aos pacientes será dividido em cinco categorias distintas, levando-se em conta a gravidade. Em no máximo cinco minutos, aqueles que forem classificados como pacientes de emergência deverão ser atendidos; em até 15 minutos deverão ser atendidos os classificados como muita urgência; quem tiver sido identificado pela triagem como paciente apenas de urgência, pode esperar até uma hora.

As outras categorias são: pouca urgência e não urgência, sendo que os primeiros, obrigatoriamente, terão que receber atendimento em no máximo duas horas e os últimos em até quatro horas. A lei 5.258 de 2 de janeiro de 2014 foi publicada no Diário Oficial da última sexta-feira (3), e é de autoria da vereadora Graziela Machado (PR), sendo promulgada pelo presidente da Casa de Leis, vereador Mário César (PMDB).

Tanto a rede privada de saúde quanto a pública, ficam obrigadas, conforme a lei, a prestarem contas, através de relatórios, dos atendimentos realizados, informando a classificação de urgência. Além disso, essas unidades deverão afixar em local visível o tempo limite de espera conforme a classificação. 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ANOS 90

Com torneio como opção por vagas no Mundial, CBF é contra volta da Supercopa

Torneio reunia os campeões da Copa Libertadores
ESTADOS E MUNICÍPIOS

Bolsonaro sanciona lei que divide recursos do megaleilão do petróleo

Capital pede mais investimentos na área de infraestrutura
GOVERNO PRESENTE

Capital pede mais investimentos na área de infraestrutura

Presidente do Ibama diz que derramamento de óleo é situação inédita
PRAIAS DO NORDESTE

Presidente do Ibama diz que derramamento de óleo é situação inédita

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião