Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Lavouras de milho recuperam perdas

Lavouras de milho recuperam perdas
05/06/2010 20:51 -


Cícero Faria, Dourados

 

As lavouras de milho na região de Dourados conseguiram se recuperar nas últimas semanas por causa das chuvas registradas acima da média histórica em maio. A previsão é de que a produtividade da safrinha seja acima da média, depois das perdas ocorridas por causa da estiagem em abril.

Os agricultores estão otimistas com o quadro atual do que dois meses atrás, quando a seca se prolongou por mais de 20 dias em importantes municípios produtores de milho na Grande Dourados. "Acho que teremos uma boa safra, mesmo com os problemas iniciais", comentou ontem o agrônomo Gilberto Bernardi, lembrando que, até agora, mesmo com frentes polares não houve geada.

A estação agroclimatológica da Embrapa Agropecuária Oeste, em Dourados, registrou a precipitação de 162 milímetros no mês passado. Neste inicio de junho o clima continua favorável. Ontem ocorreram novas pancadas fracas de chuva na região.

"As perdas serão menores do que as previstas durante a seca. Acredito que a maioria dos produtores colherá de 65 a 70 sacas de milho por hectare", citou Bernardi.

 

Frente fria

A atenção dos agricultores continua sendo com o clima. Neste final de semana deve entrar uma nova massa de ar polar no sul do Estado, que deverá derrubar as temperaturas, com previsão de geadas fracas, segundo institutos de meteorologia. A temperatura mínima do ar oscilará entre 4 e 5 graus, indicando, assim, a formação de gelo nas áreas mais baixas, com o frio perto de zero grau.

Por causa do tempo chuvoso na região de Dourados, o agrônomo avaliou que a colheita das primeiras áreas somente ocorrerá no inicio de julho. "Serão as lavouras plantadas em meados de fevereiro. Se o tempo estivesse seco poderia começar a colher no final deste mês", acrescentou.

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!