Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

Caso Sanasa

Lagos faz silêncio e Vilagra promete se manifestar sobre as acusações

31 MAI 2011Por da redação13h:54

O ex-coordenador de Comunicação da Prefeitura de Campinas, Francisco de Lagos, foi orientado a não se manifestar publicamente. Ele é suspeito de envolvimento em fraudes na investigação da Promotoria, deve permanecer longe da Administração municipal e também da imprensa nos próximos dias.

Lagos conseguiu na quinta-feira (26) a liminar que garante, de forma provisória, o habeas corpus e o protege, inclusive, de mandado de prisão preventiva. Ele foi considerado foragido pelo Ministério Público (MP), por não se apresentar à Justiça assim que foram determinadas as prisões dos suspeitos.

O ex-coordenador do governo Hélio de Oliveira Santos (PDT) é acusado pela Promotoria de participar do suposto esquema de fraudes em licitações na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa). Ele é suspeito de atuar na logística do esquema criminoso e de manter contatos com lobistas e empresários. Escutas telefônicas também revelaram tentativas de Lagos em driblar as investigações do MP.

Vice

Colocado em liberdade na última sexta-feira (27), depois de passar uma noite preso na cadeia anexa ao 2º Distrito Policial (DP), no bairro São Bernardo e de ter aceito pela Justiça um pedido de revogação da detenção —, o vice-prefeito de Campinas, Demétrio Vilagra (PT), pode conversar com a imprensa nesta terça-feira (31) pela primeira vez sobre as investigações.

Vilagra, informou a assessoria, está disposto a esclarecer todos os pontos em relação ao seu nome ter aparecido nas investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no Caso Sanasa. Ele é suspeito de recebimento de propina e negou as acusações em depoimento.

O petista foi preso no aeroporto de Guarulhos na última quinta-feira, ao desembarcar no Brasil na volta de uma viagem à Espanha, onde estava passando férias, segundo a sua defesa.

 

com informações RAC

Leia Também