Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

Capital

Ladrão guardava nove bolsas de vítimas e nega estupro

10 MAI 2011Por Laís Camargo15h:45

Em dois meses, José Manoel da Silva Assis, 37 anos, cometeu 10 roubos e é acusado de um estupro. Dois fatos curiosos: ele guardava as bolsas das vítimas e trabalhava há 7 anos em uma empresa de construção civil com salário de R$ 1.200, é casado e tem três filhos. Às 15h, a delegada Lúcia Falcão da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), apresentou o acusado e explicou porquê o fato foi encaminhado à DEAM.

No dia 29 de abril José “convidou uma mulher para sair”. A vítima estava no ponto de ônibus e diz ter sido forçada a ter relação sexual com ele em um matagal. Imediatamente após o fato, a mulher, de 31 anos, foi à DEAM denunciar um estupro. Porém, José afirma que a vítima não resistiu e o acompanhou de mãos dadas até o matagal. “Pode ser que ela tenha ido porque estava com medo, mas eu não forcei ela a nada, nem machuquei ela, não sei porque ela denunciou”, afirma o acusado.

A polícia chegou até ele porque José roubou o aparelho celular da vítima e negociou com um vizinho. O celular estava rastreado e no sábado (7), a polícia o prendeu em casa – onde foram encontradas várias bolsas, aparelhos de celular, camisinhas e óculos de sol. “Eu peguei essas coisas, mas não vendi, nem sei porque estava guardando”, afirma José. A esposa de José afirmou à delegada que sempre recebia bolsas e bijuterias de presente do marido.

Leia Também