ECONOMIA

Laboratório volta a analisar combustíveis

Laboratório volta a analisar combustíveis
06/07/2010 07:43 -


Com mais de 30 dias de operação, o Labcom (Laboratório de Análises de Combustíveis), da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, já coletou cerca de 300 amostras na Capital e interior do Estado. Álcool, gasolina e diesel estão sendo analisados pelos técnicos do laboratório.
De acordo com o diretor do Labcom, professor Luiz Henrique Viana, dentro dos próximos dias, o biodiesel também será analisado. A data ainda não foi marcada e depende de autorização da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Existe apenas uma indústria fabricante de biodiesel no Estado, localizada no município de Dourados.
O sistema de coleta é feito por dois veículos equipados para transportar as amostras retiradas dos postos visitados.
As análises, segundo o professor Viana, são enviadas à ANP em seguida e, no final do mês, é enviado relatório com o total de amostras analisadas. O contrato entre o Labcom e a ANP é válido por um ano e pode ser renovado por até cinco anos.

Funcionários
O Labcom contratou sete funcionários, contra 12 que mantinha há cerca de três anos, quando paralisou as atividades. Viana destaca que quatro desses sete contratados já fizeram parte da equipe anterior.

Custos
A implantação do laboratório foi de R$ 1,5 milhão, em maio de 2005. Depois de quase três anos de funcionamento as atividades encerraram-se em outubro de 2007. (VH)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".