quarta, 18 de julho de 2018

EQUIPE RENAULT

Kubica será submetido a novas cirurgias após grave acidente

8 FEV 2011Por 11h:25

Robert Kubica passará por mais cirurgias na quinta-feira para corrigir fraturas no pé e no ombro e deve permanecer no hospital por mais duas ou três semanas, informou a equipe Renault nesta terça.

O piloto polonês foi submetido a uma operação de sete horas realizada por duas equipes de cirurgiões no domingo, após ter sofrido múltiplas fraturas na mão, perna e braço direitos após um acidente em alta velocidade numa prova de rali na Itália.

A principal preocupação inicial dos médicos, além da considerável perda de sangue, era com a recuperação da mão direita de Kubica, já que o piloto sofreu profundos cortes na antebraço e teve lesões graves nos ossos e tendões.

Kubica é um dos maiores talentos da Fórmula 1, além de ser grande amigo do bicampeão mundial Fernando Alonso, da Ferrari.

"Na quinta-feira, Robert deve ser submetido a novas cirurgias para estabilizar as fraturas do ombro direito e do pé direito", disse a equipe em um comunicado sobre a situação do piloto de 26 anos.

"Três ou quatro dias depois, outra cirurgia vai permitir que seja estabilizada também a fratura no cotovelo."

De acordo com a Renault, a situação de Kubica continuou a progredir durante a noite.

"Segundo os médicos, os níveis de inflamação estão normais considerando sua condição médica, e a recuperação do antebraço continua animadora."

"Ontem, Robert conseguiu conversar com os médicos e familiares. A medicação faz ele dormir bastante, mas ele está respondendo a todos os estímulos externos", acrescentou a escuderia.

A Renault informou ainda que Kubica deve permanecer no Hospital Santa Corona, perto de Gênova, de duas a três semanas, até que seja tomada uma decisão sobre onde ele vai continuar com a recuperação.

A temporada da F1 começa no dia 13 de março, e Kubica vai ficar de fora entre dois meses e um ano. Ainda não foi anunciado um piloto substituto.

Os dois pilotos reservas oficiais são o brasileiro Bruno Senna e o francês Romain Grosjean, mas a escuderia apoiada pela Lotus não confirma se um deles será escolhido.

Leia Também