Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Kayatt renunciará para concorrer a deputado

Kayatt renunciará para concorrer a deputado
27/03/2010 04:32 -


O prefeito de Ponta Porã, Flávio Kayatt (PSDB), deverá renunciar ao cargo na próxima terça-feira para concorrer a uma vaga de deputado estadual. Ele vem recebendo pressão de correligionários e do próprio partido. Ontem, foi a vez do governador André Puccinelli (PMDB) reforçar o pedido, solicitando o retorno de Kayatt à Assembleia Legislativa. Em entrevista ao Correio do Estado, Flávio Kayatt disse ter encomendado pesquisas para saber a opinião da população. “Antes de falar qualquer coisa, preciso primeiro saber se a comunidade me quer como deputado ou que continue como prefeito”, ressaltou. A pressão é para que Kayatt dispute o pleito como candidato a deputado estadual, fazendo dobradinha com Reinaldo Azambuja (PSDB), que vai disputar uma das oito vagas na Câmara dos Deputados. Em recente reunião do Diretório Municipal do PSDB, foi sugerida a candidatura do prefeito. Os tucanos querem que Ponta Porã reconquiste o espaço no centro das decisões políticas de Mato Grosso do Sul. E isso só voltará a ocorrer, segundo os dirigentes, se o município tiver representatividade política por meio da eleição de deputados. Ontem, o governador André Puccinelli aumentou a pressão sobre Kayatt e disse precisar do apoio do prefeito de Ponta Porã na Assembleia Legislativa. Durante uma solenidade no auditório da prefeitura municipal, com diversos segmentos da sociedade, o governador chegou a escrever em um papel dobrado e colocou sobre a mesa na frente do prefeito a seguinte frase: “deputado Kayatt”. Caso Kayatt renuncie ao cargo na próxima terça-feira, a administração da Prefeitura de Ponta Porã continuará nas mãos do seu grupo político. O cargo deverá ser ocupado pelo vice-prefeito, o advogado Eduardo Campos (DEM), que já disse ao Correio do Estado que não pretende implementar mudanças. “O Kayatt tem feito um grande trabalho no município e em time que está ganhando o melhor mesmo é não mexer”, acrescentou. (EJA)

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...