FISCAL E AGENTE TRIBUTÁRIO

Justiça suspende concurso da Fazenda em MS

Justiça suspende concurso da Fazenda em MS
05/02/2014 16:25 - DA REDAÇÃO


A justiça estadual concedeu na tarde de hoje uma liminar suspendo o concurso público da Secretaria Estadual de Fazenda para ingresso de servidores nas carreiras de Fiscal de Rendas e Agente Tributário Estadual. A ação pedindo a suspensão do certame foi impetrada pela promotora de Justiça, Paula Volpe.

Paula Volpe decidiu entrar com a ação porque o Governo do Estado não divulgou o nome da banca responsável pela realização do concurso.

“Um concurso como esse precisa do máximo de transparência. Há informações de que servidores comissionados do quadro da Secretaria de Fazenda vão participar da prova e, por isso, a banca para esse certame precisa ser séria para não beneficiar ninguém. Tenho conhecimento de pessoas que estão se preparando há meses para esse prova e não podemos aceitar que ninguém seja prejudicado”, finalizou.

Logo após a divulgação do edital, o deputado estadual, Amarildo Cruz (PT), cobrou do Governo do Estado maior transparência na realização do concurso e exigiu a divulgação do nome da banca, porém até o momento não houve nenhuma resposta

O concurso é para preencher 60 vagas, sendo 40 para agentes tributários estaduais e 20 para fiscais de renda. Os salários iniciais que variam de R$ 6,6 mil até R$ 10,8 mil reai

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".