Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Justiça recusa outro pedido de acesso a documentos de Neymar

Justiça recusa outro pedido de acesso a documentos de Neymar
14/02/2014 22:00 - Folhapress


O Santos perdeu a segunda batalha na Justiça para ter acesso aos documentos firmados entre a N&N Sports, empresa do pai de Neymar, e o Barcelona, no processo de transferência do jogador para o clube catalão.

O desembargador José Luiz Mônaco da Silva, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, recusou hoje uma solicitação do clube paulista para poder ver a documentação.

Essa é a segunda decisão desfavorável ao Santos nesta semana. A 3ª Vara Cível de Santos já havia negado um pedido semelhante.

O Santos busca acesso aos contratos para saber se tem direito a parte dos 40 milhões de euros (R$ 131 milhões) pagos pelo Barcelona ao pai de Neymar pela prioridade na compra.

O Barcelona pagou Ç10 milhões de euros (R$ 32,8 milhões) como adiantamento e, após a negociação ser selada em maio de 2013, pagou mais Ç30 milhões de euros (R$ 98,5 milhões).

O Santos sempre disse desconhecer o acordo entre as duas partes. Versão sustentada também pela DIS, que detinha 40% dos direitos econômicos do atacante.

Pela venda de Neymar, o Santos recebeu Ç 17 milhões de euros (R$ 55 milhões) para dividir com a DIS, mas o Barcelona anunciava ter investido Ç57 milhões de euros (R$ 187 milhões).

Sem vitórias no Brasil, o Santos irá acionar um escritório especializado em direito penal em Madri, para participar como terceiro interessado dos processos que já correm na Justiça espanhola contra o Barcelona sobre o caso Neymar.

A Justiça espanhola investiga se houve desvio de recursos na contratação do brasileiro.

O comitê de gestão do Santos informou que já consultou dois escritórios em Madri para decidir qual irá contratar. Um deles entregou um orçamento ao clube nesta quinta. O outro deve responder na próxima semana, quando a questão será resolvida.  

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!